sex 24 maio 2024
HomeDestaquesCuritiba amplia horários para vacinação contra covid-19 e influenza

Curitiba amplia horários para vacinação contra covid-19 e influenza

Índices da cobertura vacinal alertam especialistas e medida surge como forma de preparar população para a época mais fria do ano

Com o inverno se aproximando, o número de casos de doenças respiratórias segue em alta. Segundo o boletim divulgado pela Fiocruz, houve um aumento de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) em crianças e adultos nas últimas semanas. A baixa temperatura e o clima seco favorecem o surgimento dessas síndromes. Com esse aumento, desde segunda-feira (22), as unidades de saúde estão com horário estendido, até às 19h para aplicação das vacinas de covid-19 e influenza.

Os números são preocupantes. Até 14 de maio, do total de 1.821.114 pessoas que deveriam ter tomado a segunda dose da vacina anticovid, 104.548 não compareceram para a aplicação. Além disso, segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a adesão à vacina bivalente, considerada a segunda geração do imunizante contra o covid-19, está abaixo do esperado. Isso se deve devido à falsa impressão de que o perigo acabou: “O vírus da covid-19 continua circulando e há muitas pessoas adoecendo. É preciso reforçar a imunização contra a doença”, alerta a Secretaria.

Já em relação à vacinação contra o vírus da influenza, a SMS constatou que, até o dia 18 de maio, Curitiba aplicou 286.113 doses de vacina contra a gripe, sendo 218.873 no público prioritário. Os dados, alertam especialistas, estão abaixo das estimativas, pois das 698.578 pessoas que são consideradas prioridades na vacinação, apenas 31,3% foram imunizadas.

A secretária municipal de Saúde, Beatriz Battistella, ressalta a importância de se imunizar. “O ideal é que a população procure um ponto de imunização o quanto antes, visto que o clima frio propicia maior circulação dos vírus respiratórios e as vacinas levam cerca de uma semana para garantir imunidade aos vacinados”, alerta.

Com o resultado da pandemia, as pessoas viram a necessidade da conscientização geral. “A vacinação é nossa mais potente arma de saúde pública porque é uma estratégia coletiva. Quando o coletivo está protegido, todos se beneficiam”, continua. Ainda ressalta: “O indivíduo que recebe a vacina fica protegido, mas todos são beneficiados quando o vírus não consegue circular”.

Vacina da gripe

O imunizante, que ajuda a reduzir o vírus da influenza (gripe) e diminuir possíveis agravamentos em casos de contaminação, se torna de extrema importância no inverno. A prioridade, determinada pelo Ministério de Saúde são:

Público-prioritário

  • Pessoas com 60 anos ou mais
  • Crianças com 6 meses a menores de 6 anos
  • Pessoas com comorbidades
  • Gestantes e puérperas (mulheres que passaram por parto há até 45 dias)
  • Pessoas com deficiência permanente
  • Trabalhadores de saúde
  • Profissionais da educação
  • Caminhoneiros
  • Trabalhadores do transporte coletivo
  • Forças armadas, de segurança e salvamento
  • Acamados (aplicação na residência)
  • Indígenas (aplicação pelo Distrito Sanitário Tatuquara e equipes do Consultório na Rua)
  • Moradores e trabalhadores de instituições de longa permanência (aplicação na residência)

Com a baixa adesão desse público, a Prefeitura de Curitiba disponibilizou a vacina da influenza para todo o público.

É importante ressaltar que a campanha de vacinação contra a gripe teria previsão de término em 31 de maio, mas de acordo com a SMS, com a baixa procura pelo imunizante, o Ministério da Saúde prorrogou o prazo por tempo indeterminado.

Vacina anticovid bivalente

Desde o início da campanha de vacinação, em fevereiro de 2023, a vacina anticovid bivalente foi aplicada em 257.760 pessoas. O imunizante tem em sua composição a cepa original e subvariantes da Ômicron, que tem registrado maior circulação nos últimos meses em todo o globo.

A dose de reforço bivalente está disponível para toda população curitibana com 18 anos ou mais. Para se vacinar é necessário ter tomado ao menos duas doses da vacina contra o COVID-19 e ter no mínimo 120 dias de intervalo desde a última aplicação.

Atualmente, os grupos prioritários são:

Dose de reforço

  • Pessoas com 18 anos completos ou mais
  • Imunossuprimidos com 12 anos ou mais
  • Gestantes e puérperas com 12 anos ou mais
  • Pessoas com deficiência permanente com 12 anos ou mais
  • Trabalhadores de saúde
  • Pessoas com comorbidades 12 anos ou mais
  • Acamados com 12 anos completos ou mais*
  • Indígenas com 12 anos ou mais*
  • Moradores de Instituições de Longa Permanência de Idosos (ILPI) e residência inclusiva; abrigados e trabalhadores dessas instituições*

*Vacinação pelas equipes das Unidades de Saúde nas instituições e residências do público-alvo.

A Secretaria Municipal de Saúde continua oferecendo a vacina contra o covid para todos os públicos. Para verificar se há alguma dose atrasada, é possível conferir no aplicativo ‘Saúde Já – Curitiba’, disponível na Play Store e Apple Store. Se tiver, basta ir a alguma das 105 unidades de saúde e apresentar um documento com foto. Você pode conferir aqui o endereço e os horários de funcionamento das unidades de saúde mais próximas de você.

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Pular para o conteúdo