sáb 27 nov 2021
HomeCidadePrograma permite desconto em viagens interestaduais e eventos culturais

Programa permite desconto em viagens interestaduais e eventos culturais

Aproximadamente 2,3 milhões de jovens em todo Brasil possuem o ID Jovem. Dificuldades para acessar benefício e logística ainda estão entre principais reclamações

Pessoas entre 15 e 29 anos que tenham renda familiar de até dois salários mínimos podem ter acesso a viagens de ônibus interestaduais na classe convencional e a eventos culturais a partir do programa Identidade Jovem.

Para viagens, o ID Jovem, como é mais conhecido, reserva ao todo quatro vagas, duas gratuitas e duas com 50% de desconto, além de meia entrada em cinemas, teatros, shows e outros eventos culturais e esportivos. O benefício, previsto no Decreto nº 8.537/2015, garante ainda gratuidade na inscrição em concursos públicos federais e no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Criado em 2016 e implementado pela Secretaria Nacional da Juventude, o programa tem o objetivo de diminuir as desigualdades socioeconômicas e aproximar os jovens de baixa renda da arte e da cultura.

Como ser beneficiário?

Para ter acesso ao documento é necessário ter entre 15 e 29 anos e ser inscrito no Cadastro Único de Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico). A inscrição deve ser realizada em um Centro de Referência da Assistência Social (Cras). Após ter o cadastro aprovado, é importante se atentar a validade de 180 dias. Depois desse período é necessário realizar a revalidação pelo aplicativo ID Jovem. É possível se increver e atualizar o cadastro por aplicativo de celular, disponíveis para as versões Android e IOS, ou pelo próprio site do programa.

A validação é feita pela inserção do Número de Identificação Social (NIS), que pode ser encontrado no Cartão Cidadão, no extrato do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), ou na Carteira de Trabalho. Para utilizar o benefício, o ID Jovem deve ser apresentado no momento da compra da passagem ou do ingresso, junto com um documento com foto.

Após cadastro aprovado, beneficiário tem direito cadastro válido por apenas 180 dias (Foto: Kaila Cristina)

Com o programa, muitos estudantes têm oportunidade de acessar universidades fora de seus estados. É o caso das estudantes Héllen dos Santos Reis, 22 anos, e Tayane Monaira de Melo, 24 anos. Ambas deixaram seus estados para ingressar na Universidade Federal do Paraná.

Héllen, que cursa Letras, conta que soube do benefício por amigos, e mesmo sendo pouco divulgado, a escassa quantidade de vagas prejudica suas viagens. “Temos que comprar a passagem com um mês de antecedência, ou mais, se não acaba”.

Mesmo comprando a passagem muito antes da data da viagem, é comum as vagas se esgotarem rapidamente, o que obriga a estudante a fazer baldeação, que é descer em um estado no meio do caminho (geralmente em São Paulo), e pegar outro ônibus para o destino final (Rio de Janeiro). Nesse trânsito entre cidades já houve vários imprevistos que a fizeram perder o ônibus, e a única alternativa era passar a noite na rodoviária até o próximo disponível.

Já Tayane, que cursa Publicidade e Propaganda, também já conhece as dificuldades de usar o benefício. Ela diz ter sido destratada por funcionários das empresas de transporte por utilizar a gratuidade. “Eu vi a mudança no tratamento deles depois que me reconheciam e sabiam que eu iria usar o ID Jovem, e eu só conseguia vaga se aceitasse sentar na última fileira de assentos, perto do banheiro”.

Outro problema vivenciado pela estudante é a falta de ônibus direto para sua cidade. Ela precisa pegar dois ônibus para chegar em seu estado e o pai precisa buscá-la em uma cidade vizinha. Todo o trajeto dura normalmente cerca de 15 horas.

Aumento de vagas?

Em 2019, o programa anunciou publicamente na página oficial do Facebook a previsão da ampliação de vagas nos ônibus e a inclusão de passagens aéreas no benefício, entretanto, não houve nenhuma confirmação até hoje.

Kaila Cristina
Estudante do curso de Jornalismo da UFPR.
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Kaila Cristina
Estudante do curso de Jornalismo da UFPR.