Free Porn





manotobet

takbet
betcart




betboro

megapari
mahbet
betforward


1xbet
teen sex
porn
djav
best porn 2025
porn 2026
brunette banged
Ankara Escort
1xbet
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com

1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com

1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
betforward
betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co

betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co

betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co
deneme bonusu veren bahis siteleri
deneme bonusu
casino slot siteleri/a>
Deneme bonusu veren siteler
Deneme bonusu veren siteler
Deneme bonusu veren siteler
Deneme bonusu veren siteler
Cialis
Cialis Fiyat
deneme bonusu
padişahbet
padişahbet
padişahbet
deneme bonusu 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet 1xbet untertitelporno porno
qui 18 jul 2024
HomeDestaquesRadiodocumentário “Morte do Impresso” narra as mudanças enfrentadas pelo jornalismo

Radiodocumentário “Morte do Impresso” narra as mudanças enfrentadas pelo jornalismo

Do linotipo ao jornalismo digital, a forma de se fazer jornalismo se modificou ao longo dos anos e o processo de adaptação foi diferente para cada profissional da informação

Neste radiodocumentário você confere a perspectiva dos jornalistas Célio Martins, Martha Feldens e Adelia Lopes, que passaram por essas mudanças e viram de perto a morte do impresso e a ascensão do digital.

Martins trabalha na Gazeta do Povo há 30 anos. Em sua entrevista, contou como funcionava a dinâmica da redação antes da chegada dos computadores e dos meios digitais. Martha Feldens não está atuando em nenhum veículo atualmente, mas já trabalhou em diversas redações durante a sua carreira. Seu relato ajuda a pensar em como muitos aspectos do fazer jornalismo não se modificaram. Adelia Lopes teve e tem uma dificuldade enorme em se adaptar aos novos meios. Essa resistência e esse impedimento compõem um relato muito rico para o documentário.

“Morte do Impresso” é um radiodocumentário produzido por Thiago Fedacz para a disciplina de Projetos Jornalísticos, e já está disponível no Spotify. O acesso é gratuito.

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Pular para o conteúdo