seg 26 fev 2024

Monthly Archives: Maio, 2012

Jornal Comunicação entra em recesso




O Jornal Comunicação entra em recesso a partir desta segunda-feira (25). O funcionamento normal do jornal continua paralisado até a volta às aulas da UFPR.

Comissão discute reivindicações dos estudantes




Após o ato público realizado por técnicos, professores e estudantes da Universidade Federal do Paraná (UFPR), na quinta-feira (14), representantes dos estudantes entregaram à reitoria um documento com 31 reivindicações dos discentes. Nessa terça-feira (19), teve início a discussão dessas pautas, por meio de uma comissão de negociação. A reunião, que continuou no dia seguinte (20), ocorreu na PRAE (Pró - Reitoria de Assuntos Estudantis), e contou com a presença de oito estudantes e quatro representantes da administração.

Estatutos de estudantes, professores e técnicos estão desatualizados




Segundo a constituição, cada sindicato é responsável por organizar as pautas de suas greves. Mas na prática, nem sempre o que está previsto em estatuto é seguido à risca. Um dos membros do comando de greve dos técnicos aqui na Universidade, Bernardo Pilotto, conta que o estatuto do Sindicato dos trabalhadores em educação do terceiro grau público (Sinditest-PR) está muito ultrapassado. "Existem determinações federais que são cumpridas e as que a gente faz na prática para melhorar a nossa ação política, como visitar cada local de trabalho explicando que vai acontecer uma assembleia", diz.

Greve dos professores já completa um mês




A greve dos professores das universidades federais completou um mês no último domingo (17). A mobilização que começou inicialmente com 33 instituições federais hoje conta com a adesão de pelo menos 55 universidades, 90% do total.

Proifes decide não entrar em greve




O Fórum de Professores das Instituições Federais de Ensino Superior (Proifes) decidiu não entrar em greve, na última terça-feira (12). A medida foi tomada, independentemente de sindicatos estaduais, que têm total independência. Universidades filiadas à federação nos estados da Bahia e Rio Grande do Sul optaram pela não adesão à paralisação. Já instituições dos estados do Paraná e Ceará deflagraram greve. "Não aderíamos à greve, porque estávamos e continuamos em pleno curso de negociações com o governo", explica Eduardo Rolim de Oliveira, presidente da Proifes.

Como é deliberada uma greve?




A greve das universidades federais completou um mês essa semana e as negociações continuam lentas. Além dos professores, técnicos e alunos também compõem o trio de segmentos em protesto. Em meio a tantos atos e assembleias o cidadão deve estar atento ao que é licito fazer durante as manifestações e como a greve deve ser deflagrada entre as categorias. Esse é um jeito de fiscalizar abusos dos direitos trabalhistas e excessos durante a paralisação.

Técnicos, alunos e professores fazem passeata nesta quinta-feira (14)




Os técnicos-administrativos em educação da UFPR, da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) e do Instituto Federal do Paraná (IFPR) realizaram um ato público na manhã desta quinta-feira (14). Mais de mil pessoas se reuniram em frente ao Prédio Histórico na Praça Santos Andrade e caminharam até a Boca Maldita. Professores e alunos também participaram da passeata para apoiar o movimento.

Protestos na UFPR comemoram centenário




Que greve não é novidade na UFPR, muita gente já sabe. Os protestos existem desde o início da Universidade. Mas quem pensa que os motivos são sempre os mesmos, se engana. As reivindicações possuem caráteres diferentes a cada década e se relacionam ao contexto político e econômico do país.

Assembleia dos professores apresenta pautas locais




Nesta terça-feira (12) aconteceu a Assembleia Geral dos Docentes da Universidade Federal do Paraná (UFPR) no auditório de Administração no campus Politécnico. Com a presença de professores da UFPR, foram discutidas as ações do comando de greve nacional, além das pautas locais.

Técnicos da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila) aprovam estado de greve




Em assembleia realizada ontem (11), os Técnicos Administrativos em Educação (TAEs) da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila), aprovaram estado de greve.

Técnicos paralisam atividades por tempo indeterminado




Os técnico-administrativos em educação (TAEs) da UFPR e da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) se encontraram nesta segunda-feira (11) numa assembleia que discutiu a questão do fundo de greve e definiu a formação do comando local da paralisação.

Assembleias decidem rumos das greves




Na última quinta-feira (31) foram realizadas duas assembleias importantes. A primeira foi a dos médicos do HC, que decidiram retomar as atividades na sexta-feira (1). Cerca de 4 mil consultas foram canceladas durante os quatro dias em que os profissionais estavam parados. A ação aconteceu para contestar uma medida provisória que reduz os salários e aumenta a carga horária dos servidores nos hospitais federais e universitários. Segundo Dr. Eduardo Lourenço, que coordenou a assembleia, apesar do atendimento voltar ao normal, o estado de greve continua e a paralisação pode acontecer novamente, se o governo tomar alguma medida inesperada. No dia 6 de junho, haverá uma nova assembleia para decidir os rumos do estado de greve.

Comunidade da UTFPR se reúne nesta segunda-feira (11)




Alunos, docentes e servidores da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) reúnem-se para discutir a extinção da estrutura administrativa do Campus Curitiba (Centro) nesta segunda-feira (11). A proposta, que foi apresentada ao Ministério da Educação, inclui extinguir a eleição direta para diretor-geral e substituí-lo por um prefeito de campus indicado pelo reitor. Assim a administração do Campus Curitiba passaria a ser responsabilidade direta da reitoria, localizada também no Campus Curitiba.

Particulares sem greve, por enquanto




A greve dos professores de universidades particulares não acontecerá tão cedo. Depois da assembleia do Sindicato dos Professores de Ensino Superior (Sinpes) no último sábado (26), a categoria decidiu adiar o indicativo de greve para o segundo semestre deste ano. Até lá, o plano do sindicato é realizar ações para fortalecer o movimento e divulgá-lo. A meta é sensibilizar docentes e até estudantes que ainda não aderiram à mobilização.

POPULARES

Pular para o conteúdo