qui 21 out 2021
HomeDestaquesAplicativo permite solicitação gratuita de teste de HIV em Curitiba

Aplicativo permite solicitação gratuita de teste de HIV em Curitiba

 De acordo com último relatório do Departamento de DST, Aids e Hepatites, há aproximadamente 734 mil pessoas infectadas com o vírus HIV no Brasil, das quais 145 mil não foram diagnosticadas. Em Curitiba, estima-se que sejam 10 mil pessoas convivendo com a Aids. A epidemia não afeta a população de maneira homogênea — a população gay e homens que fazem sexo com homens possuem 19 vezes mais chances de contrair o vírus. Tomando essa realidade como base, o Ministério da Saúde, em parceria com a Prefeitura de Curitiba e outros órgãos, lançou, no dia 24 de abril, o aplicativo A Hora É Agora, parte integrante do projeto de mesmo nome que visa ampliar o diagnóstico precoce da infecção.

Foto 1
Por meio do aplicativo, homens que fazem sexo com outros homens, maiores de 18 anos e residentes em Curitiba podem solicitar o kit de autotestagem para o vírus HIV. (Foto: Monique Portela)

 

Rápido, confidencial e gratuito

O aplicativo, disponível para iOS e Android, é uma extensão do site A Hora É Agora, lançado em fevereiro de 2015. Por meio de ambas as plataformas é possível acessar informações sobre como prevenir-se do HIV, calcular qual o seu risco de infecção e solicitar gratuitamente um kit de autotestagem que pode ser retirado na Farmácia Popular ou entregue pelos correios entre 5 a 7 dias. Também é possível ir à uma das 131 unidades de saúde de Curitiba e região metropolitana.

O teste é feito a partir de fluidos orais, mas só consegue detectar o vírus a partir de três meses da contaminação. O resultado sai em 20 minutos — lembra a facilidade e rapidez de um teste de gravidez. O kit, porém, está disponível apenas para homens que fazem sexo com outros homens, maiores de 18 anos e residentes em Curitiba, cidade escolhida pelo Ministério da Saúde para a implementação do projeto-piloto.

Foto 2
“O aplicativo de solicitação do teste vem de encontro com a necessidade de acesso ao diagnóstico”, aponta Márcio Marins, integrante da Aliança Paranaense Pela Cidadania LGBT. “Qualquer pessoa que tenha uma acesso mais rápido ao diagnóstico, seja ele positivo ou negativo, tem melhores condições para continuar se prevenindo e até prevenindo a infeção de outras pessoas”. (Foto: Reprodução/Luiz Costa/SMCS)

A especificidade quanto ao público alvo do projeto está longe de ser privilégio. David Harrad, fundador do Grupo Dignidade, parceiro do A Hora É Agora, reforça o decreto da Lei Orgânica do Sistema Único de Saúde (SUS) que estabelece prioridades e a alocação de recursos quanto aos projetos implementados. “Tendo em vista os dados epidemiológicos, é sim muito importante que a campanha seja dirigida a este público específico”, afirma Harrad.

Já para Márcio Marins, coordenador do grupo Dom da Terra, uma das organizações integrantes da Aliança Paranaense Pela Cidadania LGBT, além de encontrar-se em um grupo de vulnerabilidade quanto a infecção pelo vírus HIV, o segmento LGBT se encontra em um grupo de vulnerabilidade social: “É sabido que esse grupo, por ser historicamente vítima de violência, de preconceito, de discriminação, merece mais atenção no que diz respeito a exposição a determinadas situações que são de perigo, inclusive DSTs”.

 

A Hora É Agora

O projeto A Hora É Agora é desenvolvido pela Prefeitura de Curitiba desde novembro de 2014 e atualmente trabalha em cinco frentes: testagem no Centro de Orientação e Aconselhamento (COA) em horário comercial; testagem no Grupo Dignidade nas terças, quartas e quintas-feiras, das 18 às 21 horas; testagem na unidade móvel na Praça Osório às sextas e sábados das 18 às 22 horas; além do site e do aplicativo para celular. Até metade do mês de março foram solicitados 329 kits de autotestagem por meio do site e foram realizados 671 testes no trailer do projeto, dos quais 3,7% tiveram resultado positivo. “É um projeto ambicioso com vários elementos que são inéditos no Brasil”, afirma David Harad. “Ainda é cedo para levantar pontos que precisem ser melhorados, estamos num processo de aprendizagem”.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Populares

Comentários recentes