dom 17 out 2021
HomeDestaquesBirdman, uma obra metalinguística

Birdman, uma obra metalinguística

Metalinguagem é a propriedade que a língua tem para refletir sobre ela própria. Em uma concepção mais abrangente, os tipos de linguagem podem abordar sua auto produção. Esse recurso é bastante usado no cinema, música e literatura. Diretor de Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância), Alejandro González Iñarritu levou a técnica ao extremo, ao usar o filme para falar sobre cinema, o ator para falar sobre teatro e o homem para falar sobre o ser humano.

Michael Keaton interpreta Riggan Thomson e luta por uma redenção à sua carreira cinematográfica (Foto: Reprodução)
Michael Keaton interpreta Riggan Thomson e luta por uma redenção à sua carreira cinematográfica (Foto: Reprodução)

Mexicano da Cidade do México, o talento de Iñarritu não se desenvolveu no principal pólo de cinema do mundo, permitindo que o diretor tivesse uma visão de fora sobre o mercado de atores norte americano. É sob essa perspectiva que ele retrata a dicotomia entre Hollywood e Broadway e, aparentemente, entre cultura de massa e arte.

O elenco conta com Michael Keaton, no papel de Riggan Thomson, um ex-galã de Hollywood que recusou estrelar o quarto filme da franquia de Birdman para seguir o sonho de produzir teatro. A metalinguagem também entra em cena nesse contexto: Keaton tem sua carreira marcada por ter protagonizado a franquia de Batman.

O filme faz uma representação de atores como pessoas esquizofrênicas, com suas manias que só elas não enxergam – Riggan vive em duas realidades paralelas (o Birdman amado e o ator mal compreendido), Mike Shiner (Edward Norton) consegue existir apenas em cena e Laura (Andrea Riseborough) vive a desilusão de não ser mãe. A pessoa mais lúcida do enredo é justamente Sam (Emma Stone), filha rebelde do protagonista, com seu estilo teen, rockstar e usuária de drogas.

Controvérsia

Uma das principais críticas recebida por Iñarritu após o lançamento do longa foi com relação ao seu enredo. Longe de ser completamente original, a obra explora lugares comuns, como o homem infeliz com uma carreira de sucesso, mau pai, péssimo com relacionamentos e que vê sua filha envolvida com o principal rival de palco.

O que todos querem entender é o que fez Birdman ganhar o prêmio de melhor roteiro no Globo de Ouro. A comissão de jurados da premiação é formada por críticos do mundo todo que atuam na Califórnia, são cerca de 90 membros vindos de 55 países. Apesar do sigilo completo sobre a votação, especulações indicam que talvez os concorrentes não tenham se destacado suficientemente, mas apenas talvez.

Apesar disso, há de se valorizar elementos que fazem a narrativa prender o espectador. Do início ao fim, Riggan conversa com uma voz etérea que tenta trazer luz para seus planos frustrados de produzir arte no teatro. Só no meio da trama, descobrimos que aquela voz grave e forte pertence ao personagem Birdman, outrora personificado por Riggan. Junto das conversas, o protagonista apresenta o poder de controlar qualquer coisa com a mente. Todo esse conjunto aparenta ser um traço do berço latino de Iñarritu, ao fazer referência ao realismo fantástico, que teve Gabriel García Márquez como seu principal expoente.

A virtude da ignorância

Ao passo que a peça de Riggan, na trama, aborda os aspectos do amor, Iñarritu transforma seu filme em uma ironia sobre a ignorância: seja pelo entendimento que as pessoas têm de que arte se sobrepõe à cultura de massa, seja pelo desejo do ser humano em ser conhecido e admirado para se sentir amado.

Com uma trilha sonora bem trabalhada que dá ritmo ao filme, Birdman se destaca pela produção de alto nível e pela crítica ácida ao cinema e ao ser humano.

Trailer

Ficha Técnica 

Gênero: Drama

Direção: Alejandro González Iñarritu

Roteiro: Alejandro González Iñárritu, Alexander Dinelaris, Armando Bo, Nicolás Giacobone

Elenco: Akira Ito, Amy Ryan, Andrea Riseborough, Brent Bateman, Clark Middleton, Damian Young, David Fierro, Donna Lynne Champlin, Edward Norton, Emma Stone, Hudson Flynn., Jamahl Garrison-Lowe, Jeremy Shamos, Joel Marsh Garland, Katherine O’Sullivan, Keenan Shimizu, Kenny Chin, Lindsay Duncan, Merritt Wever, Michael Keaton, Michael Siberry, Naomi Watts, Natalie Gold, Paula Pell, Warren Kelly, William Youmans, Zach Galifianakis

Produção: Alejandro González Iñárritu, Arnon Milchan, James W. Skotchdopole, John Lesher

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Populares

Comentários recentes