sáb 16 out 2021
HomeCidadeEm última edição, Cavalete Parade transforma propaganda política em obras de arte

Em última edição, Cavalete Parade transforma propaganda política em obras de arte

Quem passou pela Boca Maldita na tarde deste sábado (26) pôde conferir de perto a última Cavalete Parade da história. O evento é um protesto contra cavaletes políticos em situação irregular durante períodos eleitorais. Para isso, cidadãos são convidados a fazer intervenções artísticas nas propagandas dos candidatos e expor os trabalhos em ruas, avenidas e praças de diversas cidades do país.

Em 2014, a manifestação que transforma os cavaletes em obras de arte aconteceu simultaneamente em várias capitais do Brasil, incluindo São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Belo Horizonte. A edição curitibana da mostra contou com cerca de 20 peças, que ficaram expostas das 14h às 17h. Os temas das intervenções foram bem variados, indo de críticas ácidas, como a pintura de um político com um abacaxi no lugar da cabeça, até representações de elementos da cultura paranaense, como a gralha azul. Alguns artistas aproveitaram a oportunidade para promover a conscientização do público sobre temas como homofobia e aborto.

O humor foi o caminho escolhido pelo ilustrador Fernando Nolasco, que viveu a experiência de modificar um cavalete pela primeira vez. O desenho criado por ele era uma réplica do famoso padrão das calçadas em petit-pavé da Rua XV de Novembro. “Fiz essa intervenção como uma brincadeira. Desenhei o calçadão da Rua das Flores para representar uma troca: tirei o cavalete da rua e coloquei a rua no cavalete”, explica.

Para Nolasco, as criações funcionam como um modo muito eficiente de “chamar atenção para o problema das propagandas políticas irregulares espalhadas pelas cidades”. Fernando, assim como a maioria dos participantes do evento, recolheu um cavalete na rua entre as 22h e as 6 da manhã, período em que, segundo a legislação vigente, esse tipo de publicidade não poderia mais estar exposto em vias públicas. “Uma vez que o cavalete está numa avenida em um horário ilegal, eu, como cidadão, tenho todo o direito de retirá-lo de lá e fazer o que quiser com ele”, afirma o artista. Cavaletes que estejam em áreas verdes, atrapalhem a passagem dos pedestres ou dificultem a visibilidade dos motoristas também estão desrespeitando a lei.

Adesão

Organizada pela internet de maneira totalmente espontânea, a Cavalete Parade chamou atenção nas redes sociais. Foram mais de mil fotos da exposição postadas no Instagram e aproximadamente 600 pessoas com presença confirmada no evento da edição Curitibana da mostra no Facebook.

Além de conquistar os internautas, a manifestação também chamou a atenção dos pedestres que passavam pela Boca Maldita e não conheciam a iniciativa. A estudante Fabiana Bonfim, de 12 anos, foi uma das pessoas surpreendidas positivamente pela iniciativa. “Para mim tudo isso é bem importante, não porque o cavalete atrapalha, mas porque me faz lembrar dos políticos ruins, que só prometem e nunca cumprem. Achei bem bonito e criativo”, opinou a menina. Segundo dados da Associação Comercial do Paraná (ACP), estima-se que, em média, 140 mil pessoas passem diariamente pela região em que a exposição ocorreu.

Última exposição

Criada em 2012 pelo publicitário Victor Britto e pelo ilustrador Marco Furtado, ambos paulistas, a Cavalete Parade chega a sua segunda e última edição em 2014 devido a uma mudança na lei que regulamenta a propaganda de campanhas políticas. Uma minirreforma eleitoral realizada em 2013 proibiu o uso de cavaletes. A nova regra entrará em vigor a partir de 2016, quando ocorre o próximo pleito municipal.

Apesar de estar se despedindo da Cavalete Parade, Fernando Nolasco garante que a população encontrará outros alvos para as próximas manifestações artísticas. “Não teremos mais cavaletes, mas ainda existem muitas coisas que incomodam a população, como a poluição sonora e os panfletos que sujam a cidade. Vamos ver o que vai estar nos perturbando na próxima eleição”, afirma.

Cavalete Parade reuniu cerca de 20 peças com intervenções artísticas, a maioria com críticas ao sistema político do país (Foto: Victoria Tuler)
Cavalete Parade reuniu cerca de 20 peças com intervenções artísticas, a maioria com críticas ao sistema político do país (Foto: Victoria Tuler)
NOTÍCIAS RELACIONADAS

Populares

Comentários recentes