ter 26 out 2021
HomeDestaquesObras no Campus Rebouças são retomadas

Obras no Campus Rebouças são retomadas

As obras no Campus Rebouças da Universidade Federal do Paraná (UFPR), na Avenida Sete de Setembro, são retomadas esse ano após um problema jurídico com a empresa licitada. O prazo para a entrega de parte do espaço, que deveria estar pronto desde dezembro de 2012, foi prorrogado para o final deste ano.

A restauração do Edifício Teixeira Soares (antigo prédio da Rede Ferroviária de Curitiba e agora estrutura do novo campus) está parcialmente concluída, enquanto a construção do Anexo A já foi finalizada. Apenas o Anexo B está com as obras paradas.

Reconstrução do Edifício Teixeira Soares está em execução. O Anexo A do
Campus Rebouças já foi concluído. Foto: Gustavo Queiroz

O diretor de infraestrutura da Cidade Universitária (PCU) da UFPR e fiscal de obra Luis Carlos da Silva explica que a paralisação é reflexo de um problema jurídico com a empresa que venceu a licitação. “As atividades estão recomeçando agora. Não foi necessário abrir nova licitação, pois a lei permite a mudança da empresa contratada nestes casos”, comenta.

De acordo com Silva, para que o novo campus atinja a infraestrutura desejada – capaz de manter a circulação de 4500 alunos/dia – é necessário um tempo maior para a conclusão das obras. “A restauração do edifício Teixeira Soares envolve a instalação de esquadrias, fachada, pisos internos, praça externa e acessos, o que atrasou a obra”, afirma. O novo prazo de entrega desse espaço é dezembro de 2013. Já o Anexo B ainda não tem data prevista de finalização, apesar do reinício das obras.

 

Expansão da UFPR

Através do Programa de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni), a UFPR investiu nos últimos cinco anos cerca de 50 milhões de reais em 83 obras de melhoria e crescimento para o ano do centenário (2012). Uma delas é o campus Rebouças, que recebeu 37 milhões de reais para a construção.

Adquirido em 2008 por concessão do Governo Federal em parceria com o Ministério de Planejamento, o novo campus contará com biblioteca, restaurante universitário, laboratórios, gabinetes, salas de aula e auditório com capacidade para 300 pessoas – tudo voltado aos cursos da área de Educação, Turismo, Psicologia, formação de professores e pós-graduação da UFPR.

Segundo o diretor da PCU, a escolha dos cursos de Educação e Humanas para a mudança se deu devido ao crescimento vegetativo do setor. “O aumento de vagas previsto pelo Reuni pediu um aumento do espaço físico da UFPR. Era necessário desafogar os campi que já trabalham com espaço limitado, como o da Praça Santos Andrade e a Reitoria”, conclui.

 

A UFPR destinou cerca de 30 milhões de reais para as obras no Campus Rebouças.
    Foto: Gustavo Queiroz

 

Necessidade de mudança

A ampliação do espaço físico não é a única demanda que motivou a mudança dos setores de Educação e Humanas. Para a aluna de Psicologia da UFPR Mariana Xavier, existe a necessidade de modernização e reestruturação dos laboratórios do curso, Restaurante Universitário e melhoria na segurança. “Temos dificuldades com o laboratório de Análise Experimental do Comportamento e na Clínica de Psicologia Aplicada, importantes para o curso. Além disso, nos falta um ambiente adequado de estudo”, conta a estudante.

A opinião é compartilhada pela turismóloga formada na UFPR Thamires Lacerda. “Com a mudança haverá laboratórios, salas de aula, carteiras e gabinetes, coisas básicas que faltam no atual campus”. Para ela, resta saber se o prazo para a entrega da obra será cumprido. “Se tudo o que foi prometido existir, será ótimo. Mas eu não tenho muitas esperanças de que o novo campus será esse ‘sonho’ todo. Já vimos outras trocas na UFPR que nem sempre foram tão bem sucedidas”, avalia.

 

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Populares

Comentários recentes