Free Porn





manotobet

takbet
betcart




betboro

megapari
mahbet
betforward


1xbet
teen sex
porn
djav
best porn 2025
porn 2026
brunette banged
Ankara Escort
1xbet
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com

1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com

1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
betforward
betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co

betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co

betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co
deneme bonusu veren bahis siteleri
deneme bonusu
casino slot siteleri/a>
Deneme bonusu veren siteler
Deneme bonusu veren siteler
Deneme bonusu veren siteler
Deneme bonusu veren siteler
Cialis
Cialis Fiyat
deneme bonusu
padişahbet
padişahbet
padişahbet
deneme bonusu 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet 1xbet untertitelporno porno
sex 19 jul 2024
HomeDestaquesPEC que propõe redução da maioridade penal passa na CCJ

PEC que propõe redução da maioridade penal passa na CCJ

A votação da Proposta de emenda Constitucional (PEC) 171/1993, que propõe a redução da maioridade penal de 18 para 16 anos, aconteceu no dia 31 de março. A Comissão de Constituição de Justiça e Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou, em Brasília, por 42 votos a 17, o texto da emenda, que está em trâmite desde 1993 na Câmara dos deputados. Isso, porém, não é uma decisão definitiva. O próximo passo é a votação em plenário.

A redução da maioridade penal é tema desde 1993. (Foto: Alexander Raths/Shutterstock)

A PEC, originalmente, deveria ter sido votada no início do mês. O adiamento ocorreu por um pedido de vista coletivo do parecer do relator, Luiz Couto (PT-PB), que é contrário à PEC, com a intenção de que haja mais tempo para se discutir o assunto antes da votação. Já o deputado Alessandro Molon (PT-RJ) fez um requerimento para que a Comissão ouça vários representantes da sociedade civil. Além da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a Associação Nacional dos Centros de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Anced) e Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) devem ser ouvidos dois constitucionalistas, um favorável e outro contrário à redução.

Prós e Contras

Muitos argumentos foram apresentados tanto a favor da PEC quanto contra ela. Quem quer a redução alega, por exemplo, que a violência diminuirá. Para o Desembargador do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR), Ruy Muggiati, essa justificativa não procede: “É como se, para diminuir a violência, proibissem o porte de armas, mas não proibissem sua fabricação”, exemplifica o Desembargador. Para ele, é preciso fazer a polícia funcionar de forma exemplar para uma real diminuição da violência. “Somente 5 a 8% dos homicídios são investigados, isso gera a sensação de impunidade”, alega Ruy. O defensor público Fernando Redede colabora com essa linha de pensamento: “a redução da maioridade penal não é útil para diminuir a violência. Não há um estudo sociológico que comprove isso”, declara.

Um ponto polêmico é a questão da consciência dos adolescentes sobre seus atos. Enquanto alguns apontam que jovens de 16 anos já têm noção de certo e errado, outros ponderam que o comportamento ainda pode ser corrigido nessa idade. Segundo Ruy Muggiati, as leis são feitas pensando no bem comum e manter a maioridade nos 18 anos é o melhor para a sociedade. “Até essa idade, podemos dizer que os jovens são como um ‘barro mole’: é possível ainda moldar, adaptar. Depois disso, é como se fosse consolidado, bem mais difícil de mexer”, conta Muggiati.

Manifestantes contrários à aprovação da PEC protestam em audiência pública Foto: Wilson Dias/ Agência Brasil
Manifestantes contrários à aprovação da PEC protestam em audiência pública. (Foto: Wilson Dias/ Agência Brasil)

Sistema Carcerário

O sistema penitenciário brasileiro é outro tema discutido com relação à redução da maioridade. De acordo com o Desembargador, que também é Presidente do Conselho de Supervisão dos Juízes da Infância e Juventude do TJPR, o estado gasta R$3.000,00 com cada penitenciário: “é melhor utilizar esse dinheiro investindo na educação do que mais tarde, colocando-os na cadeia”, assegura.

Além disso, atualmente, a reincidência dos adultos que estão nas prisões é maior que a dos jovens que passam por medidas socioeducativas. “Essas medidas são mais eficazes em adolescentes de 16 e 17 anos”, diz Redede.

Protestos favoráveis à aprovação da PEC também aconteceram na audiência pública. Foto: Wilson Dias/ Agência Brasil
Protestos favoráveis à aprovação da PEC também aconteceram na audiência pública. (Foto: Wilson Dias/ Agência Brasil)

Medidas Socieducacionais

Para os especialistas, o sistema de auxílio aos jovens em conflito com a lei precisa funcionar em conjunto. Sociedade, escolas, defensoria pública, e governo precisam estar bem articulados para que seja possível fazer o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) funcionar. “Geralmente, as leis indicam a atuação de mais de um órgão para esses casos”, esclarece o defensor público.

Os jovens que estão em situação de conflito com a lei são responsabilizados pelos seus atos com medidas que podem ser tomadas  de acordo com a idade e com a gravidade do ato infracional. Adolescentes, dos 13 aos 17, têm suas infrações apuradas pela Delegacia da Criança e do Adolescente e podem-se aplicar medidas socioeducativas que variam de liberdade assistida até apreensão, essa última somente em casos de ameaça à vida ou reincidência.

Para Renata Mendonça, Conselheira do Conselho Regional de Psicologia, o CRP08, e Presidente da Comissão de Orientação e Ética do CRP08, para haver efetividade é preciso respeitar o estatuto. “As medidas socioeducativas responsabilizam sim o adolescente”, afirma Renata. Ela explica que os locais onde esses jovens são mantidos têm a responsabilidade de oferecer assistências escolares, profissionalizantes, psicológicas, entre outras.

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Pular para o conteúdo