dom 24 out 2021
HomeUFPRProjeto Repensando a Escolha Profissional busca diminuir os índices de evasão acadêmica

Projeto Repensando a Escolha Profissional busca diminuir os índices de evasão acadêmica

Luciana Albanese Valore é Psicóloga e Doutora em Psicologia Escolar e Desenvolvimento Humano. Também é professora da UFPR e coordena, desde 2005, o Projeto Repensando a Escolha Profissional. Em entrevista ao Jornal Co:::unicação, Luciana  comentou sobre aspectos do projeto, bem como os motivos que geram a indecisão acadêmica nos universitários.

Luciana Valore. Idealizadora do Projeto Repensando a Escolha Profissional, que, atualmente conta com a ajuda de 8 estagiários voluntários do último período do curso de Psicologia e envolve toda a UFPR (Foto: Julia Kreuz)

 

Jornal Co:::unicação: Como surgiu o Repensando a Escolha Profissional?          

Luciana Valore: O Repensando a Escolha Profissional surgiu a partir de um trabalho prático que passei em sala de aula para meus alunos, em uma matéria chamada Orientação Profissional de Carreira. Esses alunos me apresentaram um projeto voltado aos estudantes de Ensino Superior. A partir disso, resolvemos implementar para valer as ideias discutidas em sala de aula.


JC: Quais foram as preocupações dentro da Universidade que levaram à criação do Projeto?    

LV: A evasão universitária foi uma das nossas maiores preocupações. Existem vários fatores que levam a essa situação. Um dos principais é a escolha profissional sem informações o suficiente. O que percebemos, a partir de pesquisas, é que os alunos do Ensino Médio entram na faculdade sem conhecer de verdade o curso pelo qual optaram, ou qual é a realidade da profissão e do mercado de trabalho.

Outro motivo alarmante pelo qual os estudantes não se sentem satisfeitos com a escolha de curso é o desinteresse dos professores. Muitas vezes esses profissionais, que deveriam ser preparados e capacitados, agem com desrespeito e desinteresse com seus alunos, e isso é muito desmotivador. O ideal seria que as universidades tivessem um acompanhamento também para o corpo docente.

JC: Você tem planos para começar a trabalhar também com os professores, já que tantos participantes do Projeto os apontam como uma forte causa da evasão de curso?  

LV: Esse é o meu sonho. Porém, sei que é difícil, pois o projeto atual é realizado pelos meus alunos do quinto ano. Não temos um psicólogo formado trabalhando conosco, embora fosse muito importante esse tipo de investimento por parte da Universidade. Para os estagiários, é muito difícil bater de frente com professores, que já são profissionais bem sucedidos e experientes dentro das suas áreas. O que podemos conseguir, por enquanto, são ações menores de sensibilização. Reconheço que é complicado, mas, para a resolução de grande parte do problema, ações desse tipo precisariam acontecer.

JC: Existe um perfil dos alunos que fazem parte do Projeto?  

LV: A maioria das pessoas que nos procura está mais ou menos na metade do curso. No entanto, muitas vezes recebemos indivíduos que estão no primeiro período e fizeram três semanas de aula, bem como pessoas que estão a poucas semanas da formatura. Recebemos a mesma quantidade de homens e mulheres, de todas as áreas e cursos. Temos percebido, também, o aumento de alunos que apresentam problemas pessoais mais sérios, como depressão. Antigamente, os estudantes tinham suas vidas sem grandes atritos, e só o que estava errado era a questão profissional. De algum tempo para cá, isso está mudando um pouco, embora esse perfil não represente a maioria.

JC: Você está trabalhando em algum projeto novo para o futuro?

LV: Estamos planejando algo voltado aos estudantes que estão se formando. A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) tem uma matéria aberta para alunos de todos os cursos chamada Planejamento de Carreira. Essa matéria auxilia justamente na preparação para o mercado de trabalho. Pensamos em implementar algo parecido por aqui, pois a época de formatura também é uma fase que requer atenção.

Nosso objetivo é preparar os estudantes, em um curso que os deixe profissionalmente satisfeitos, para a realidade do mercado atual.

Repensando a Escolha Profissional

As inscrições do projeto estão abertas até quinta-feira, dia 27/03 e podem ser feitas no Centro de Assessoria e Pesquisa em Psicologia e Educação (Ceappe), localizado no subsolo do Prédio Histórico, entre 9 e 17 horas. As vagas são limitadas e os estudantes devem apresentar no momento da inscrição o comprovante de matrícula.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Populares

Comentários recentes