seg 26 fev 2024
HomeCidadeVereadores de Curitiba aprovam Política Vini Jr. para combater racismo nos estádios

Vereadores de Curitiba aprovam Política Vini Jr. para combater racismo nos estádios

Projeto que prevê medidas de prevenção e combate ao racismo em arenas esportivas da capital aguarda aprovação do prefeito

Na última terça-feira (21), a Câmara Municipal de Vereadores de Curitiba aprovou, em segunda votação unânime com 26 votos positivos, o protocolo Vini Jr., que institui medidas de prevenção e combate ao racismo em estádios da cidade. O texto é de autoria dos vereadores Giorgia Prates (PT), Herivelto Oliveira (Cidadania) e do professor Euler (MDB), que agora aguardam a sanção do prefeito Rafael Greca (PSD).

A iniciativa prevê a interrupção temporária do evento esportivo caso seja registrada alguma “conduta racista praticada por grupo de pessoas ou de reincidência de conduta manifestamente racista”, podendo até autorizar seu encerramento. O projeto estabelece que todos os estádios e arenas esportivas, públicos ou privados, devem aplicar o Protocolo de Combate ao Racismo. 

O protocolo recebe esse nome em homenagem ao jogador da Seleção Brasileira e do Real Madrid, Vinícius Júnior, que tem sido uma voz ativa contra as ofensas racistas que ocorreram durante as partidas de futebol na Espanha. A nova política entrará em vigor assim que sancionada pelo prefeito de Curitiba, Rafael Greca (PSD).

Esse procedimento permitirá que qualquer cidadão denuncie ter sofrido ou presenciado racismo às autoridades presentes – policiais civis ou militares, bombeiros civis ou militares, guardas municipais ou seguranças particulares. Além disso, estabelece a obrigatoriedade de divulgação de canais oficiais de denúncias de crimes de racismo e a realização de campanhas educativas.

Já discutida na votação em primeiro turno, durante a sessão do dia 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, Giorgia Prates (PT) defendeu que o racista precisa perceber que sua atitude é crime. “Uma pessoa, quando é racista, ela precisa muito se observar e conseguir entender que o problema é dela e não nosso”, argumentou a vereadora.

Embora seja contrário às medidas de combate ao racismo, o vereador Eder Borges (PP) optou por não votar, permitindo a aprovação do projeto que visa coibir crimes de racismo em arenas esportivas, ginásios e estádios da cidade.

Segundo Keu Araújo, ativista antirracismo, a discriminação racial em estádios e arenas esportivas representa um desafio significativo que afeta a qualidade da experiência tanto para torcedores quanto para jogadores. Ela ressalta que o racismo causa danos que comprometem a integridade do esporte e a segurança dos envolvidos.

“A Política Vini Jr. é um avanço na luta contra o racismo no mundo esportivo, sendo uma ferramenta eficaz na promoção de um ambiente mais inclusivo, equitativo e seguro”.

A antropóloga Judit Gomes observa que a prática de atos racistas nos estádios de futebol, como xingamentos e gestos discriminatórios, é lamentavelmente comum, sendo evidenciada até mesmo nos resultados automáticos de pesquisas on-line. 

Ela destaca que “a aprovação do protocolo em Curitiba marca um passo importante na repressão dessas práticas racistas e serve como exemplo para iniciativas no âmbito nacional”, finaliza a especialista.

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Pular para o conteúdo