sáb 28 jan 2023
HomeCopa 2022Ataque brilha e Brasil "se classifica" para as quartas em 30 minutos

Ataque brilha e Brasil “se classifica” para as quartas em 30 minutos

Com direito à dança, seleção marca quatro gols em apenas 36 minutos. Na outra partida do dia, Croácia supera Japão por 3 a 1 nos pênaltis e será adversário das quartas de final

Como quem passeia em uma agradável e ensolarada manhã de domingo, o Brasil concluiu o primeiro tempo do jogo de oitavas de final, contra a Coreia do Sul, com quatro gols e sem enfrentar nenhuma resistência considerável. Logo aos 7 minutos, Vinícius Júnior abriu o placar após boa jogada pela direita. Aos 13, Neymar ampliou, desta vez de pênalti, sofrido por Richarlison. Aos 29 minutos, em boa triangulação do ataque canarinho, foi a vez de Richarlison. O camisa nove brigou pela bola, tabelou com Thiago Silva e tocou na saída do goleiro. Ainda antes do intervalo, Lucas Paquetá marcou de primeira após receber bom passe de Vinícius Júnior pela esquerda, ainda aos 36 minutos de jogo.

Confira os confrontos já definidos das quartas de final da Copa do Mundo 2022.

Vinícius Júnior abre o placar aos 7 minutos, o gol mais cedo da seleção brasileira nesta edição da Copa do Mundo. Foto: Divulgação (Fifa.com).

O segundo tempo foi um pouco mais arrastado e repleto de substituições. O Brasil, naturalmente, baixou o ritmo de jogo, e a Coreia do Sul conseguiu evitar mais gols da seleção brasileira. Aos 31 minutos da etapa final, Paik Seung-ho bateu forte de fora da área e supreendeu Alisson.

Apesar do gol sofrido, Alisson realizou as melhores defesas da própria trajetória na competição até o momento. Aos 16 minutos, o camisa 1 da seleção brasileira defendeu o que seria um golaço de fora da área do coreano Hwang Hee-chan. Novamente, aos 22 minutos do segundo tempo, o arqueiro impediu a entrada da bola em uma conturbada jogada recheada de rebotes na cara do gol.

Mesmo com a boa atuação, o goleiro foi substituído pouco depois do gol de honra do sul-coreanos por Wewerton, o único entre os 26 convocados que não havia entrado em campo na Copa do Mundo. A partida acabou com o placar de 4 a 1 para o Brasil, que se classificou para as quartas de final e agora enfrenta a Croácia, na próxima sexta-feira (9), ao meio-dia (horário de Brasília).

A personalidade da seleção brasileira

A partida também foi marcada pelas comemorações da seleção brasileira, provando que o entrosamento dos jogadores ultrapassa as barreiras do futebol e demonstra a sincronia e proximidade por meio das coreografias.

As danças, porém, significam mais que a pura felicidade que se espera do povo brasileiro. São também uma afronta direta aos ataques racistas sofridos por Vinícius Júnior, que foi associado a um macaco justamente pelas comemorações que pratica após seus gols pelo Real Madri.

Outra demonstração empática da equipe foi a homenagem feita a Pelé, que se encontra atualmente internado no hospital Albert Einstein, em São Paulo.

Ficha técnica

Local: Estádio 974, em Doha, no Catar
Data: 05 de dezembro de 2022, segunda-feira; 
Horário: 16 horas (de Brasília); 
Árbitro: Clément Turpin (França)
Assistentes: Nicolas Danos (França) e Cyril Gringore (França)
Quarto árbitro: Slavko Vinčić (Eslovênia)
VAR: Jerome Brisard (França).

BRASIL: Alisson; Éder Militão, Marquinhos, Thiago Silva e Danilo; Casemiro, Lucas Paquetá e Neymar; Raphinha, Richarlison e Vinicius Júnior.
Técnico: Tite

COREIA DO SUL: Seung-gyu Kim; Moon-hwan Kim, Min-jae Kim, Young-gwon Kim e Jin-su Kim; Woo-Young Jung, In-beom Hwang e Woo-Yeong Jeong; Hee-chan Hwang, Gue-Sung Cho e Heung-min Son.
Técnico: Paulo Jorge Gomes Bento

Contexto pré-jogo

Na capital do Catar, a única seleção pentacampeã mundial busca sua redenção perante a opinião pública, em especial com o trauma do 7 a 1 que sofreu em casa contra a Alemanha, em 2014. Após 20 anos do último título, o Brasil é um dos principais favoritos da competição, segundo Paulo Bento, técnico da seleção coreana, adversária do Brasil nesta tarde.

Com os titulares devidamente descansados e recuperados, no caso do Neymar, o Brasil entrou em campo em ótima forma. No jogo contra Camarões, nesta última sexta-feira (02), Tite optou por colocar a partida nas mãos, ou melhor, nos pés dos reservas. O que resultou na derrota de 1 a 0 que sofreu para a seleção camaronesa, mas em compensação não desgastou os titulares.

Por outro lado, a Coreia do Sul não teve a mesma oportunidade, pois precisou conquistar com unhas e dentes a sua classificação nas oitavas em um duro jogo contra Portugal também na sexta-feira (02).

Além disso, o último embate entre Brasil e Coreia do Sul, que ocorreu em junho deste ano, resultou em goleada para o Brasil, que venceu de 5 a 1 a seleção asiática. Portanto, os coreanos não entraram em campo com um cenário favorável.

Brasil e Coreia do Sul se entrelaçam para muito além do futebol

Embora a relação entre a Coreia do Sul e o Brasil remonte à década de 1960 – em função dos imigrantes coreanos que se instalaram, majoritariamente, no bairro Bom Retiro, na região central da cidade de São Paulo -, o histórico entre os dois países no futebol não é nada extenso. Com 8 jogos disputados entre as seleções, o desta segunda-feira foi o primeiro em Copas do Mundo. Dentre os amistosos, os asiáticos só conquistaram a vitória em cima do país do futebol apenas uma vez, em casa, na capital coreana Seul no ano de 1999.

Além do futebol, a influência da cultura desse país asiático no Brasil tem se estendido nos últimos anos. Com a explosão do K-Pop e o aumento no consumo do cinema e das séries coreanas, os chamados doramas, em especial durante a pandemia de covid-19, a procura pelo consumo dessa temática tem demonstrado expressivo crescimento.

Exemplo disso são os diversos shows lotados dos ídolos de K-Pop em terras brasileiras. Só o grupo BTS já realizou seis shows em quatro turnês diferentes. Já o consumo da cultura se evidencia pela reorganização recente do próprio bairro do Bom Retiro, que se conceitua cada vez mais como um destino para o turismo. Os cafés, restaurantes, bares e karaokês temáticos do bairro paulistano – comandados em sua maioria por descendentes diretos dos imigrantes coreanos – atraem em sua maioria o público brasileiro que busca por uma experiência com gostinho de Coreia do Sul.

Totem em comemoração aos 59 anos da imigração coreana na Praça Coronel Fernando Prestes, Bom Retiro, São Paulo. Foto: Divulgação ( Prefeitura de São Paulo).

Outro jogo do dia: Japão e Croácia

Com a última vice-campeã do mundo de um lado e uma das grandes surpresas desta Copa do outro, pelas vitórias contra as consagradas Alemanha e Espanha, a partida entre Croácia e Japão se iniciou com um primeiro tempo equilibrado, até o Japão abrir o placar aos 43 minutos do primeiro tempo com um gol de Daizen Maeda. Logo no início do segundo tempo, aos 10 minutos, Ivan Perišić empatou com um bonito cabeceio.

Com o fim do segundo tempo e dos dois tempos de prorrogação, o jogo partiu para a primeira disputa de pênaltis da competição, que resultou na classificação da seleção croata para as quartas de final por 3 a 1, e na eliminação da equipe japonesa.

Apesar das vitórias contra a Alemanha e a Espanha, a seleção japonesa deixa a competição nas oitavas de final em derrota para a Croácia. Foto: Divulgação (Fifa.com)

Ficha técnica

Local: Estádio Al-Janoub, em Al-Wakrah, no Catar
Data: 05 de dezembro de 2022, segunda-feira; 
Horário: 12 horas (de Brasília); 
Árbitro:  Ismail Elfath (Estados Unidos)
Assistentes: Corey Parker (Estados Unidos) e Kyle Atkins (Estados Unidos)
Quarto árbitro: Mustapha Ghorbal (Argélia)
VAR: Nicolas Gallo (Colômbia)

JAPÃO: Shuichi Gonda; Takehiro Tomiyasu, Shogo Taniguchi e Maya Yoshida; Junya Ito, Hidemasa Morita, Ao Tanaka e Yuto Nagatomo; Ritsu Doan, Daizen Maeda e Daichi Kamada.
Técnico: Hajimi Moriyasu

CROÁCIA: Dominik Livakovic; Josip Juranovic, Dejan Lovren, Josko Gvardiol e Borna Sosa; Luka Modric, Marcelo Brozovic e Mateo Kovacic; Andrej Kramaric, Marko Livaja e Ivan Perisic.
Técnico: Zlatko Dalic

NOTÍCIAS RELACIONADAS