sáb 23 out 2021
HomeCulturaDeixe um cachorro te fazer feliz, é de graça

Deixe um cachorro te fazer feliz, é de graça

Com apenas 15 minutos você já podia ajudar a melhor o dia de um cão abandonado, e ele podia ajudar a melhor o seu  (Foto: Fernanda Tieme Iwaya)
Com apenas 15 minutos você pode ajudar a melhorar o dia de um cão abandonado, e ele pode ajudar a melhorar o seu  (Foto: Fernanda Tieme Iwaya)

Domingo é dia de parcão no Museu Oscar Niemeyer. E nessa semana, também foi dia de fazer a diferença para vinte e sete cães. No gramadão atrás do museu estavam uns cachorros diferentes. Diferentes em muitos sentidos. Algumas pessoas dizem que eles não tem raça. Mas só fala isso quem ainda desconhece a realidade da qual eles foram salvos. Raça eles têm e sempre tiveram, nasceram tendo, e muita.

Os cachorros com machucados ainda cicatrizando, e em alguns casos até com dentinhos faltando, foram abandonados ou nasceram na rua, e uma coisa é certa: alguém maltratou eles. Mesmo assim, independente do passado, eles abanavam o rabo lá no cantinho do gramadão. Afinal, agora o que importa para a vida deles é o futuro. Resgatados de situações inimagináveis, os cães sem pedigree, os cães sem preço, os cães órfãos, não pediam muito. Esperavam por uma só coisa: alguém que os levasse para passear e, quem sabe, alguém que se apaixonasse e decidisse “hoje você vai pra casa comigo”.

A Dani Savi atua há 10 anos como protetora independente e o Darth é um cão resgatado. Hoje, o grupo que a Dani preside cuida de 160 cães, 30 gatos, 10 coelhos, 3 cavalos e 2 tartarugas.  (Foto: Fernanda Tieme Iwaya)
Dani Savi atua há 10 anos como protetora independente e o Darth é um cão resgatado. Hoje, o grupo que a Dani preside cuida de 160 cães, 30 gatos, 10 coelhos, 3 cavalos e 2 tartarugas
(Foto: Fernanda Tieme Iwaya)

Esses vinte e sete cachorros estavam participando de um evento organizado pelos voluntários do grupo de proteção e resgate “Força Animal”, a segunda edição do “Deixe um Cachorro te Levar para Passear”. A proposta era a seguinte: fazer um cadastro, pegar um dos participantes caninos e ficar 15 minutos andando e brincando com eles pelo gramado.“Os nossos cachorros têm problemas emocionais muito tristes, eles não confiam mais nos ser humano, alguns não olham diretamente para você ou ficam com medo quando alguém chega perto”, declara a presidente do Força Animal, Danielly Savi. E ai está a maior importância da ação de domingo. Ressocializar os cães resgatados é sempre o maior desafio para quem cuida deles, fazer com que eles se sintam bem perto das pessoas, ajudar eles a ter a chance de poder cativar  alguém, pra sempre. Muitos dos cachorros de domingo já deixavam a timidez e o medo de lado e pulavam direto para o abraço. Perdi as contas de quantos eu ganhei.

E em meio a tantos cães correndo e brincando sem guia, em meio a tantos donos gargalhando e se divertindo, aqueles que ainda esperam por um lar se destacavam, cada um tinha um balão amarrado na guia. “É para não perder?”, alguém me perguntou. O engraçado é que todos os cães se misturam, para eles não importa se é puro ou mestiço, eles brincam, são todos da mesma espécie, e eles deveriam ser tratados da mesma maneira, mas muitas vezes ainda não são.

Sorte a deles que existem os anjos que os ajudam, que os resgatam e que cuidam deles, que lhes dê atenção. Também sorte deles que existiram 48 pessoas que tiraram um pedacinho de domingo para ir lá passear com eles e fazer com que o coração batesse mais feliz e o rabo balançasse mais forte. Sorte, na verdade, a nossa. Sorte de quem pôde conhecer esses anjos de quatro patas, esses melhores amigos do homem, esses que já sobreviveram a maldade do homem, e a gente sabe que não é pouca. Sorte a nossa de termos tido a chance de sermos levados para passear por eles.

 

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Populares

Comentários recentes