dom 02 out 2022
HomeEducaçãoEspelho, espelho meu

Espelho, espelho meu

“Existem pessoas e pessoas, mas elas nem sempre são o que aparentam ser. O que importa é a beleza interior”. Essa frase, recorrente na peça “A Feia”, apresentada no sexto dia do Festival de Antonina, define perfeitamente a idéia central do espetáculo.
A montagem narra o julgamento de um pai e uma mãe acusados de assassinar a própria filha, batizada de Feia. O motivo do crime: a aparência monstruosa da menina, que nasceu com terrí­veis deformidades fí­sicas. E é por meio dessa história que a peça incentiva o espectador a repensar algumas posturas, principalmente as que giram em torno de preconceitos mascarados.
Cleide Piasecki, autora e diretora do espetáculo, defende a profundidade do assunto. “A imagem representa uma boa parte da nossa vida, mas há um lado ainda mais importante. O culto da beleza faz as pessoas esquecerem que o que faz um ser humano são suas ações”.
O espetáculo questiona também a relação entre a religiosidade e o preconceito, por meio de comparações entre a história de Abel e da Feia. Segundo a peça, assim como Deus não tinha o direito de culpar Caim pelo assassinato de Abel, os pais de Feia não poderiam julgá-la, já que nem Deus nem os pais da menina conheciam os alvos de seus julgamentos.
A peça, apesar de trágica e pesada, contou com alguns momentos de descontração. O público pôde interagir com os atores fazendo “buruburuburu”, sons que em uní­ssono soam como burburinhos no decorrer do julgamento. Além disso, uma das espectadoras foi presenteada com uma rosa, o sí­mbolo que tanto encanta o pai da personagem principal.
Mesmo com o frio, as duas sessões do espetáculo lotaram. Boa parte do público elogiou a peça, que teve sua primeira montagem em 1994 e depois de algumas alterações estreou novamente este ano. “Achei a encenação maravilhosa”, derrete-se a jovem Renata Gomes. A estudante universitária Maria Fernanda Aquino também gostou do que viu, mas achou a linguagem cansativa. De qualquer forma, o drama dá abertura a uma grande reflexão a respeito da existência e do comportamento humano.

Espetáculo A Feia faz reflexão sobre o comportamento humano
Cris Seciuk
Hendryo André
Professor do curso de Jornalismo da UFPR. Orientador do Jornal Comunicação.
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Hendryo André
Professor do curso de Jornalismo da UFPR. Orientador do Jornal Comunicação.