qui 29 set 2022
HomeEducação"Severo apareça pra sambar..."

“Severo apareça pra sambar…”

Pela manhã, as ruas de Antonina estão tí­midas. Poucos passeiam por elas e a cidade tem um ar sonolento, um ar de ressaca. O Festival de Inverno da Universidade Federal do Paraná (UFPR) traz um novo ânimo ao dia com as apresentações que acontecem às 12h30. Hoje (9) os passantes podiam sentar-se, ouvir, cantar e dançar ao som do espetáculo “Só falta Severo” do grupo Calça, Camisa e Paletó. Figurino simples, instrumentos de percussão, um cavaquinho, marotices, arrodeios, pinga e balas de banana completaram a apresentação.
Os seis integrantes do grupo encantaram o público do Festival de Antonina com seus sambas de roda. Após o fim de cada música, há encenações da procura pelo personagem Severo, numa espécie de teatro improvisado. Ao ouvir a palavra mágica banana, em uma simpática referência à cidade sede do Festival a música recomeça.
Formado há seis meses, o grupo teatral/musical faz adaptações do teatro popular de rua nordestino. As músicas de “Só Falta Severo” são parte do repertório das tradicionais peças “Samba do Severo” do recôncavo baiano e do “Cavalo Marinho” da zona da mata pernambucana.
“Nós mesclamos os personagens das peças e imprimimos a nossa cara, fazendo nossos próprios improvisos”, explica Leonardo França, um dos artistas. A interação com o público é a parte mais interessante da peça. O grupo chama a platéia para dançar e participar das brincadeiras o tempo todo, tornando a apresentação ainda mais representativa.

Enquanto Severo não chega, vamos sambar
Giovana Ruaro
Hendryo André
Professor do curso de Jornalismo da UFPR. Orientador do Jornal Comunicação.
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Hendryo André
Professor do curso de Jornalismo da UFPR. Orientador do Jornal Comunicação.