qua 20 out 2021
HomeComportamentoUma corrida (muito) diferente

Uma corrida (muito) diferente

Na última sexta-feira, dia 21, um evento inusitado chamou a atenção dos transeuntes na noite de Curitiba: o Arrancadão Cross Dress, que compõe a programação do Mês da Bicicleta na cidade, reuniu cerca de 20 ciclistas transvestidos para uma corrida-relâmpago em plenas ruas do Centro Cí­vico.

O Arrancadão Cross Dress foi uma iniciativa do estudante de Design Guilherme Akio, e juntava os ciclistas dois a dois para competir. Mas o que mais chamava a atenção era o figurino dos participantes: os homens no melhor visual feminino, entre vestidos, shortinhos e até meia calça arrastão, e as mulheres vestidas de homem houve até imitação de bigode. O nome da corrida, “Cross Dress“, destaca justamente a brincadeira de vestir roupas que fazem parte do guarda-roupa do sexo oposto. A ideia da troca de figurinos surgiu de uma discussão prévia com o grupo de teatro da Selvática, espaço coletivo de produção artí­stica de Curitiba. “Pela questão de gênero, pelo ato de se transvestir. Por que [fazer] só mais um arrancadão?”, comenta Akio.

Andreza Soinegg, publicitária e uma das organizadoras da corrida, disse que a ideia era criar um evento mensal que fosse, além de um compromisso, divertido. Durante toda a corrida, que começou por volta das 22h, os distintos competidores e a torcida acalorada chamavam a atenção daqueles que passavam na rua. Muitos torciam os pescoços para tentar entender do que se tratava. “É uma corrida para pisar no calo, mesmo, para avacalhar”, comenta Andreza.

Devido ao barulho dos competidores e da torcida, não demorou muito para que uma viatura policial aparecesse no local. Depois de uma breve conversa, a promessa de fazer menos barulho e até um desafio para os policiais participarem da competição, a disputa pode ir até o fim.

A Cross Dress não é a única “corrida maluca”

A iniciativa do Arrancadão Cross Dress vai ao encontro com a do blog Curitiba Messenger, em que os ciclistas da cidade postam ideias de outros paí­ses relacionadas ao pedal. “Em Nova Iorque eles organizam a Drag Race, uma corrida ‘ilegal’ num túnel famoso. Tava faltando algo aqui em Curitiba”, conta o organizador Guilherme Akio.

Anteriormente, foi realizada a Alley Cat Beer, uma corrida em que os participantes deviam tomar cinco latinhas de cerveja durante o percurso: na largada, em cada um dos 3 postos de conveniências e na chegada. E para evitar trapaças, todas deveriam ser ingeridas na frente de um fiscal. As cervejas colocavam o fôlego e a sobriedade dos atletas à prova. Muita gente compareceu para olhar, mas poucos tiveram coragem de enfrentar o desafio.

Uma das corridas inusitadas que será realizada futuramente é o “Arrancadão sem as mãos”.

Sabrina Rodrigues incorpora roupas (e um bigode) de homem para competir.
Curitiba Messenger
A ideia do evento vai além da simples corrida de bicicletas ao propor formas inusitadas de pedalar.
Curitiba Messenger
NOTÍCIAS RELACIONADAS

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Populares

Comentários recentes