dom 17 out 2021
HomeAmbiente & SustentabilidadeA revolução que vem do lixo

A revolução que vem do lixo

Do lixo vem o que pode ser uma das maiores revoluções em termos de economia de energia e redução do impacto ambiental causado pelo homem. Um comerciante de Santa Catarina, José Alcino Alano, 54 anos, inventou um aquecedor solar a partir de garrafas pet e caixas de leite que, além de propiciar uma redução de até 120 KWh por mês no consumo de energia, garante a limpeza da cidade. Só no Paraná, de cada 100 garrafas pet comercializadas, apenas 15 são recicladas. Já o consumo de embalagens longa vida chega a 400 milhões por ano, das quais 240 milhões são lançadas no meio ambiente, causando forte impacto ambiental. O sistema utiliza garrafas pet e embalagens longa-vida pós-consumo que iriam para o aterro. Além disso, representa alternativa de trabalho e geração de renda para associações de coletores de lixo reciclável.

Alano mostra visí­vel preocupação com o futuro da humanidade caso a mentalidade de destruição ambiental não mude: “Não é possí­vel que sejamos tão imediatistas e irresponsáveis ao extremo de comprometermos os destinos não só dessa, mas principalmente das futuras gerações”, ressalta. “Somos conscientes das facilidades e do conforto que toda essa gama de embalagens nos proporciona, mas é visí­vel o impacto ambiental que causam quando descartadas de maneira errada e irresponsável”, analisa.

Os “bio-aquecedores” se utilizam do sistema termo-sifão, mesmo princí­pio dos aquecedores solares produzidos industrialmente. No entanto, é mais acessí­vel, pois os materiais utilizados são bem mais baratos. O painel que aquece a água é feito com garrafas pet, caixas de leite longa-vida e canos de PVC. Estes, juntamente com as caixinhas, são pintados de preto-fosco e, assim, absorvem a energia solar e a transformam em calor. O papel das garrafas é manter esse calor ao envolver os canos por onde passa a água, criando, assim, uma espécie de efeito estufa. O processo ocorre da seguinte forma: a água entra no sistema em temperatura ambiente e volta aquecida para a caixa d”água (ver figura). Para se ter um resultado satisfatório, esse ciclo deve ser repetido constantemente por algumas horas. Assim, se passadas seis horas nesse ciclo, a água pode chegar a até 38ºC no inverno catarinense ou a 50ºC no verão. Para fazer um aquecedor desse com capacidade para quatro pessoas e para abastecer dois banheiros, são utilizadas cerca de 200 embalagens de leite longa-vida e 200 garrafas pet, havendo um custo total de R$ 83.

Interesse do governo

A idéia de José Alcino Alano foi tão apreciada que virou programa de governo. O secretário do Meio Ambiente e Recursos Hí­dricos, Rasca Rodrigues, assinou no último sábado (3), convênio de parceria com a União dos Escoteiros do Brasil Região Paraná (UEB-PR) visando à capacitação de 4,8 mil escoteiros para montagem do aquecedor solar feito à base de materiais recicláveis. Para o presidente da UEB-PR, Irineu Muniz de Resende Neto, com a assinatura do convênio, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hí­dricos (Sema) irá potencializar as ações ecológicas realizadas pelos grupos escoteiros.

O secretário conta que a parceria começou a ser discutida após o grupo escoteiro Guairacá, de Foz do Iguaçu, ter recebido as instruções para a montagem do aquecedor solar no mês passado, despertando o interesse de outros grupos e da UEB-PR. “O interesse foi tão grande que pretendemos apresentar o convênio para a União Nacional dos Escoteiros, que possui 28 milhões de associados, para que seja desenvolvido em outros estados”, adianta.

“A defesa do meio ambiente é um pensamento estratégico para o futuro, e a orientação do movimento escoteiro é deixar o mundo melhor do que encontramos. Seguindo este conceito, a capacitação e o material didático oferecidos pela Sema só têm a somar”, explica o presidente da UEB-PR, acrescentando que o movimento escoteiro é o primeiro movimento ecológico do mundo.

As atividades de capacitação serão coordenadas pelo programa Desperdí­cio Zero, desenvolvido pela Secretaria com o objetivo de diminuir o volume de lixo encaminhado aos aterros sanitários, incentivando a reciclagem e o reaproveitamento de resí­duos.

Aquecedor de recicláveis: alternativa barata para a economia de energia e limpeza do meio ambiente
José Alcino Alano

Funcionamento do aquecedor de recicláveis: simples, eficiente e prático
Fonte: Sema
NOTÍCIAS RELACIONADAS

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Populares

Comentários recentes