Free Porn





manotobet

takbet
betcart




betboro

megapari
mahbet
betforward


1xbet
teen sex
porn
djav
best porn 2025
porn 2026
brunette banged
Ankara Escort
1xbet
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com

1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com

1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
betforward
betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co

betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co

betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co
deneme bonusu veren bahis siteleri
deneme bonusu
casino slot siteleri/a>
Deneme bonusu veren siteler
Deneme bonusu veren siteler
Deneme bonusu veren siteler
Deneme bonusu veren siteler
Cialis
Cialis Fiyat
deneme bonusu
padişahbet
padişahbet
padişahbet
deneme bonusu 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet 1xbet untertitelporno porno
sex 19 jul 2024
HomeAmbiente & SustentabilidadeA revolução que vem do lixo

A revolução que vem do lixo

Do lixo vem o que pode ser uma das maiores revoluções em termos de economia de energia e redução do impacto ambiental causado pelo homem. Um comerciante de Santa Catarina, José Alcino Alano, 54 anos, inventou um aquecedor solar a partir de garrafas pet e caixas de leite que, além de propiciar uma redução de até 120 KWh por mês no consumo de energia, garante a limpeza da cidade. Só no Paraná, de cada 100 garrafas pet comercializadas, apenas 15 são recicladas. Já o consumo de embalagens longa vida chega a 400 milhões por ano, das quais 240 milhões são lançadas no meio ambiente, causando forte impacto ambiental. O sistema utiliza garrafas pet e embalagens longa-vida pós-consumo que iriam para o aterro. Além disso, representa alternativa de trabalho e geração de renda para associações de coletores de lixo reciclável.

Alano mostra visí­vel preocupação com o futuro da humanidade caso a mentalidade de destruição ambiental não mude: “Não é possí­vel que sejamos tão imediatistas e irresponsáveis ao extremo de comprometermos os destinos não só dessa, mas principalmente das futuras gerações”, ressalta. “Somos conscientes das facilidades e do conforto que toda essa gama de embalagens nos proporciona, mas é visí­vel o impacto ambiental que causam quando descartadas de maneira errada e irresponsável”, analisa.

Os “bio-aquecedores” se utilizam do sistema termo-sifão, mesmo princí­pio dos aquecedores solares produzidos industrialmente. No entanto, é mais acessí­vel, pois os materiais utilizados são bem mais baratos. O painel que aquece a água é feito com garrafas pet, caixas de leite longa-vida e canos de PVC. Estes, juntamente com as caixinhas, são pintados de preto-fosco e, assim, absorvem a energia solar e a transformam em calor. O papel das garrafas é manter esse calor ao envolver os canos por onde passa a água, criando, assim, uma espécie de efeito estufa. O processo ocorre da seguinte forma: a água entra no sistema em temperatura ambiente e volta aquecida para a caixa d”água (ver figura). Para se ter um resultado satisfatório, esse ciclo deve ser repetido constantemente por algumas horas. Assim, se passadas seis horas nesse ciclo, a água pode chegar a até 38ºC no inverno catarinense ou a 50ºC no verão. Para fazer um aquecedor desse com capacidade para quatro pessoas e para abastecer dois banheiros, são utilizadas cerca de 200 embalagens de leite longa-vida e 200 garrafas pet, havendo um custo total de R$ 83.

Interesse do governo

A idéia de José Alcino Alano foi tão apreciada que virou programa de governo. O secretário do Meio Ambiente e Recursos Hí­dricos, Rasca Rodrigues, assinou no último sábado (3), convênio de parceria com a União dos Escoteiros do Brasil Região Paraná (UEB-PR) visando à capacitação de 4,8 mil escoteiros para montagem do aquecedor solar feito à base de materiais recicláveis. Para o presidente da UEB-PR, Irineu Muniz de Resende Neto, com a assinatura do convênio, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hí­dricos (Sema) irá potencializar as ações ecológicas realizadas pelos grupos escoteiros.

O secretário conta que a parceria começou a ser discutida após o grupo escoteiro Guairacá, de Foz do Iguaçu, ter recebido as instruções para a montagem do aquecedor solar no mês passado, despertando o interesse de outros grupos e da UEB-PR. “O interesse foi tão grande que pretendemos apresentar o convênio para a União Nacional dos Escoteiros, que possui 28 milhões de associados, para que seja desenvolvido em outros estados”, adianta.

“A defesa do meio ambiente é um pensamento estratégico para o futuro, e a orientação do movimento escoteiro é deixar o mundo melhor do que encontramos. Seguindo este conceito, a capacitação e o material didático oferecidos pela Sema só têm a somar”, explica o presidente da UEB-PR, acrescentando que o movimento escoteiro é o primeiro movimento ecológico do mundo.

As atividades de capacitação serão coordenadas pelo programa Desperdí­cio Zero, desenvolvido pela Secretaria com o objetivo de diminuir o volume de lixo encaminhado aos aterros sanitários, incentivando a reciclagem e o reaproveitamento de resí­duos.

Aquecedor de recicláveis: alternativa barata para a economia de energia e limpeza do meio ambiente
José Alcino Alano

Funcionamento do aquecedor de recicláveis: simples, eficiente e prático
Fonte: Sema
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Pular para o conteúdo