qua 27 out 2021
HomeDestaquesBetter Call Saul supera expectativas

Better Call Saul supera expectativas

 

Bob Odenkirk interpreta  o desalinhado Saul Goodman
Bob Odenkirk interpreta o desalinhado Saul Goodman. Foto: Divulgação

Se você achava que Better Call Saul seria apenas mais uma produção a ficar na sombra da série que a originou, estava enganado. Com uma qualidade incrível, a série consegue manter a tensão de Breaking Bad ao contar a história de como o advogado Saul Goodman, interpretado por Bob Odenkirk, atingiu o sucesso. Com o fim da primeira temporada próximo, o que se pode dizer é que as expectativas foram alcançadas.

No episódio piloto fomos apresentados a James McGill, o futuro Saul. Mas não espere encontrar aqui o mesmo advogado bem sucedido de Breaking Bad. McGill é um fracasso. Andando com um carro velho e fingindo ser sua própria secretária no telefone, ele passeia por tribunais defendendo criminosos por muito pouco.

Na verdade, James McGill se odeia. Frustrado, ele percebe que andar na linha não traz o reconhecimento que ele acredita merecer. É aí, então, que conhecemos um pouco de seu passado. Mesmo antes de se tornar advogado, ele era um golpista conhecido como Slipping Jimmy.

O personagem vivido por Odenkirk ao longo da temporada vai aos poucos se transformando em Saul Goodman. Mais comportado no começo, logo se envolve com criminosos. E é aceitando suborno que ele consegue o dinheiro para, ao que parece, fundar seu império.

Além de Saul, os fãs de Breaking Bad também devem ter gostado de rever Raymond Cruz como Tuco Salamanca e Jonathan Banks como Mike Ehrmantraut. É interessante ver como este último já conhecia o advogado muito antes de Walter White aparecer. Os dois chegam até a agir juntos em certos episódios, lembrando muito a antiga série.

Deram as caras também outros personagens nessa temporada. O irmão de James, também advogado, é Chuck McGill, que parece sofrer de um problema parecido com radiofobia. Seu sócio é Howard Hamlim, um homem bem sucedido com quem James adora arrumar confusão.

Better Call Saul é mais leve que seu antecessor, mas tem seus momentos de tensão. O assassinato do filho de Mike e seu envolvimento com a polícia prometem cenas emocionantes. Será interessante descobrir como um ex-policial e porteiro de estacionamento se transformou no braço direito do maior traficante de metanfetamina dos Estados Unidos.

Mas o ponto alto da série é com certeza o humor. Não há como esquecer a negociação de Jimmy com Tuco Salamanca pelas pernas de dois skatistas. Ou mesmo a cena bizzarra de Chuck McGill tentando roubar o jornal de sua vizinha vestido com uma roupa de alumínio.

Com o fim da primeira temporada chegando, podemos dizer que Better Call Saul é até aqui tão bom quanto Breaking Bad. Nas questões técnicas, Vince Gilligan conseguiu até mesmo superar sua antiga série. Com fotografia e atuações excelentes, resta saber se o diretor conseguirá manter o interesse do espectador da mesma forma que fez anteriormente.

Serviço

A série é uma produção exclusiva do Netflix e vai ao ar no site toda terça-feira

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Populares