sáb 23 out 2021
HomeUFPRComércio virtual ganha a confiança de estudantes da UFPR

Comércio virtual ganha a confiança de estudantes da UFPR

O UFPR Mercadão funciona com um mediador entre o comprador e o vendedor, que concluem as negociações através de mensagens particulares no Facebook

Um grupo no Facebook com quase 30 mil membros. Essa é, talvez, a característica mais impactante do UFPR Mercadão. Com a proposta de facilitar o comércio entre os estudantes da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), o grupo surgiu no ano passado e se tornou um sucesso.

“Eu achei a ideia legal. Estou sempre acompanhando as novidades das redes socais. E comecei a criar grupos que poderiam ser úteis”, conta o idealizador Gabriel Gratival, estudante da Universidade Estadual de Maringá (UEM). Ele conta que depois que criou o grupo “UEM – Caronas”, começou a fazer grupos semelhantes para as universidades onde tinha amigos frequentando.

São ofertados centenas de produtos por dia que variam muito em sua natureza. São eletroeletrônicos, suplementos, bebidas, roupas, móveis, carros e muito mais. O controle das postagens é feito pelos administradores, que excluem comentários impróprios e anúncios de produtos ilegais. “Já teve casos de gente vendendo armas e muitos casos de xingamentos”, relata Gratival.

A divulgação acontece pelos membros do grupo, que adicionam os amigos e colegas de faculdade. “Minha intenção é que o grupo fique em torno do público da universidade”, ressalta. Mas o Mercadão cresceu de tal forma que atingiu pessoas de fora do ambiente acadêmico. O boom, garante o estudante, não foi planejado nem esperado.

O UFPR Mercadão surgiu com o objetivo de facilitar a compra, venda e troca de produtos entre os universitários. Porém, com as novas possibilidades oferecidas pelo Facebook, pode se tornar um negócio para o seu criador. A venda de anúncios para o banner do grupo e a venda de posts fixos são uma forma de capitalizar. “Unir o útil ao agradável”, resume Gratival. O estudante gasta, em média, 20 minutos por dia para adicionar novos membros.

Compra, venda e troca

Luciana Lika Mizokoshi, estudante de Publicidade e Propaganda na UFPR,  acompanha o grupo há alguns meses. Como tem o costume de comprar coisas pela internet, não hesitou em adquirir um soquete de lâmpada que permite apagar a luz com um controle remoto. “Coisa de preguiçoso mesmo”, satiriza. Ela conta que o comportamento honesto das pessoas nas descrições do produto aumenta a confiabilidade no negócio.

O UFPR Mercadão funciona com um mediador entre o comprador e o vendedor, que concluem as negociações através de mensagens particulares na rede social. A clareza no anúncio, com a descrição detalhada do produto, preço e foto, contribui para o sucesso da venda.

O estudante de Relações Públicas na UFPR Felipe Martins Greiner precisava vender uma bicicleta. Na primeira tentativa de venda, postou sem muitos detalhes, e ninguém se interessou. Na segunda vez, com um anúncio caprichado e completo, conseguiu realizar o negócio. “É preciso deixar claro tudo do produto, tamanho, estado de conservação”, afirma. “O UFPR Mercadão dá uma margem de segurança por ser a maioria da federal”, resume Greiner.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Populares

Comentários recentes