sáb 20 abr 2024
HomeAmbiente & SustentabilidadeDesafio Intermodal movimenta primeira noite da Feira MUS

Desafio Intermodal movimenta primeira noite da Feira MUS

Modais inéditos surpreendem em evento com ampla cobertura midiática

O Desafio Intermodal foi a principal atração do primeiro dia da Feira de Mobilidade Urbana Sustentável (MUS). Na noite de quinta-feira (21), os 57 participantes saíram do Centro Politécnico no bairro Jardim das Américas com destino à praça Santos Andrade, onde acontece a Feira. É a 15ª edição do evento, realizado pelo programa de extensão Ciclovida da Universidade Federal do Paraná (UFPR) em parceria com o instituto Lactec.

Os desafiantes, em seus modais escolhidos, percorreram do Centro Politécnico até a Praça Santos Andrade, em trajeto livre com parada no Escritório Verde da Universidade Tecnológica Federal do Paraná. 

Nesta edição, a novidade acabou se destacando: o monociclo elétrico, em sua primeira participação como modal oficial do evento, foi o grande destaque e vencedor do primeiro e segundo lugar, com 18 minutos e 35 segundos e 19 minutos e 42 segundos, respectivamente. Com apenas 17 segundos de diferença, a bicicleta ficou com o terceiro lugar, com um tempo total de 19 minutos e 59 segundos.

Sanderval Maia dos Santos, o monociclista mais rápido, falou sobre a eficiência do modal: “De fato é um veículo muito rápido, e por ser pequeno, dá agilidade para passar nos lugares”. Mesmo com a conquista ele se mantém modesto “Contamos com a sorte também, porque olha, não foi fácil passar o professor [Nestor Saavedra, que chegou logo depois de bicicleta]”. Sanderval termina elogiando o evento: “Primeira vez [que participa], é bem bacana, legal e bem organizado”.

Presença ilustre, o personagem Dick Vigarista, da animação Corrida Maluca, foi outro que curtiu o desafio: “Foi bom, gostei muito, até vim com a bicicletinha amarela, foi muito divertido”. Sem trapacear, é o segundo ano consecutivo dele no evento.

Outra modalidade estreante foi o power walking. Ana Claudia Osiecki é pesquisadora deste exercício e foi uma das desafiantes para mostrar o potencial do seu objeto de estudo: “Não é corrida e também não é marcha atlética”, explica. A inclusão no Desafio Intermodal é uma maneira de Ana divulgar o power walking como uma forma de praticar exercícios físicos em meio a rotinas muito apertadas “Achei o máximo, a gente está voltado muito para saúde e bem estar. A gente consegue fazer com que as pessoas conheçam uma estratégia diferenciada e fácil”. Baseada nas próprias pesquisas, ela lista os benefícios da prática: “Em três meses de coleta de dados eu tive resultados inimagináveis: fisiológicos, níveis de estresse, qualidade de vida, sono, sonolência diurna, motivação. Foram vários fatores que melhoraram”.

Silvana Nakamori, coordenadora do projeto, avalia o resultado do trabalho, feito inteiramente por voluntários. “Fiquei muito feliz, e com o tanto de mídia que veio aqui, a repercussão sobre o assunto, que era justamente pautar a mobilidade, acho que vai ter um êxito muito grande” e se surpreendeu com o resultado “Eu apostei no Nestor, que tinha o recorde de todas as edições”. Sempre indo além, Silvana já tem expectativas para os próximos “Ainda espero fechar mais modais”.

Por Emilly Cristina Domingues e Rafael Maldonado

Confira também a reportagem em áudio, feita por Emilly Cristina Domingues e Rafael Maldonado:

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Pular para o conteúdo