sáb 16 out 2021
HomeSociedadeFalta de higiene nas academias pode causar doenças de pele

Falta de higiene nas academias pode causar doenças de pele

Apenas um pano com álcool em gel já basta para o próprio usuário fazer a higiene dos aparelhos de ginástica

Não bastam os preparos físicos para se fazer academia de uma maneira saudável. Assim como em diversos esportes, a prática requer muita atenção com a higiene, pois as chances de se contrair doenças de pele são altas. E é nessa época do ano que o corpo fica mais vulnerável ao ataque de fungos e bactérias. Antes do verão, a busca por academias aumenta em até 30%, segundo dados da Agência Sebrae de Notícias, o que aumenta a possibilidade de contaminação.

Um alerta sobre o tema foi exposto no relatório da associação estadunidense National Athletic Trainers, em 2010. Segundo o documento, as doenças de pele são extremamente comuns em atletas, sendo responsável por mais de 50% das doenças infeciosas que atingem os competidores. Para os esportistas amadores que frequentam academias e vestiários, o risco também existe.

“Por causa do calor e umidade, é muito comum contrair micoses”, diz o dermatologista Carlos Augusto. A doença pode afetar várias regiões da pele e unhas e os principais sintomas são manchas e coceira. Na academia, o contágio ocorre quando os aparelhos não são higienizados e a pele entra em contato com suor deixado no estofado.

Simples cuidados

O principal cuidado para evitar a contaminação é simples. “Basta passar um pano com álcool no equipamento”, afirma o médico. Na academia do Clube Curitibano, por exemplo, a limpeza é feita três vezes ao dia por funcionários, mas há frascos com álcool 70° e panos para que qualquer um possa utilizar.

Handerson Nalesso, personal trainer do clube, dá a dica. “É bom que o cliente traga a própria toalha”, diz. Henrique Herrera, 19 anos, treina há quatro anos e meio e segue as recomendações. Ele usa a toalha quando faz exercícios aeróbicos e lava as mãos ao chegar no treino. Na hora de ir embora, porém, os cuidados diminuem. “Sempre me esqueço de passar álcool gel ou lavar as mãos”, confessa.

Erycson Michel, 22 anos, não dá oportunidade à contaminação. “Passo álcool em todos os equipamentos”, conta. Ele freqüenta a academia há seis meses e, nesse período, já passou por três. Começou a reparar na higiene do local na que treina atualmente. É a única que oferece álcool em gel; as recomendações em relação à higiene são feitas através de placas e avisos colados na parede. “É um bom jeito de informar as pessoas”, afirma Erycson.

Males não necessários

São vários os tipos de doenças que afetam pessoas de qualquer idade. Na academia, as mais comuns são:

Pitiríase Versicolor: É comum aparecer nas partes mais gordurosas do corpo, como tronco, braços e pescoço. Os causadores são os fungos Pitysorporum orbiculare e Pityrosporum ovale, ou a levedura Malassezia furfur.Sintomas: manchas esbranquiçadas e descamação da pele.

Tinea Corporis: Surge nas áreas de maior exposição do corpo. A mancha é avermelhada e as bordas se espalham na pele. Entre os causadores, Trichophyton, Microsporum e Epidermophyton.

Tinea Pedis: Mais conhecida como Pé de atleta, essa infecção aparece entre os dedos dos pés ou das mãos, ou mesmo nos tornozelos. Sintomas: coceira, sensação de queimação e bolhas.

O tratamento das micoses depende da rapidez com que são diagnosticadas. Quanto antes a pessoa procurar um médico, mais curto e barato será o tratamento, a princípio feito com o uso de cremes e sabonetes especiais. “Se a doença estiver num estágio mais avançado, a pessoa terá que fazer uso de remédios fortes, que podem prejudicar o fígado. Além disso, o processo pode durar mais de seis meses”, explica Dr. Carlos Augusto.

Tudo o que você pode (e deve) fazer na academia:

– Lavar as mãos antes e depois das atividades físicas;
– Passar álcool nos equipamentos antes de utilizá-los;
– Usar roupas de tecidos frescos; evite a lycra no verão;
– Ter, pelo menos, dois pares de tênis. É importante revezar o uso para que o calçado esteja seco e arejado.

Tudo o que a academia pode (e deve) fazer por você:

– O ambiente deve ser amplo e ventilado;
– É preciso que haja álcool gel disponível em vários pontos do local;
– Os instrutores devem encaminhar os clientes para exames físicos semestrais.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Populares

Comentários recentes