Free Porn





manotobet

takbet
betcart




betboro

megapari
mahbet
betforward


1xbet
teen sex
porn
djav
best porn 2025
porn 2026
brunette banged
Ankara Escort
1xbet
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com

1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com

1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
betforward
betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co

betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co

betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co
deneme bonusu veren bahis siteleri
deneme bonusu
casino slot siteleri/a>
Deneme bonusu veren siteler
Deneme bonusu veren siteler
Deneme bonusu veren siteler
Deneme bonusu veren siteler
Cialis
Cialis Fiyat
deneme bonusu
padişahbet
padişahbet
padişahbet
deneme bonusu 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet 1xbet untertitelporno porno
sex 19 jul 2024
HomeSociedadePreços altos marcam transporte alternativo em Curitiba e RMC

Preços altos marcam transporte alternativo em Curitiba e RMC

Vans e carros alternativos cobraram cerca de 120% a mais do que a tarifa do transporte coletivo. Foto: Everson Bressan/SMCS

A Urbanização de Curitiba (Urbs), responsável pela manutenção do sistema de transporte coletivo da cidade, efetuou o cadastro de carros e vans particulares para transportar passageiros e utilizar as canaletas do expresso. A medida foi uma resposta à greve dos trabalhadores do setor, iniciada na madrugada desta quarta-feira (26). A notícia empolgou os motoristas particulares. Até o fim da manhã, cerca de 180 veículos já haviam passado pela rodoferroviária, onde agentes faziam o cadastro dos interessados após uma vistoria obrigatória e a checagem dos documentos dos condutores.

As vans autorizadas estão estrategicamente posicionadas próximo a estações-tubo e pontos de ônibus do centro de Curitiba. A maioria dos motoristas opta por cobrar o preço máximo permitido pela Urbs, de 6 reais por passageiro. Entretanto, é possível encontrar quem ofereça o serviço a 5 reais próximo à Estação Central, dependendo do trajeto a ser percorrido. O valor representa um aumento de 122% em relação à passagem do transporte público convencional.

Para o motorista Josué Alves da Silva, o preço estaria afastando a clientela. Parado com sua van na Praça Rui Barbosa desde as dez da manhã, Silva ainda não havia transportado nenhum passageiro até as duas da tarde. “O povo vem, pergunta o preço e vai embora. Não percebem que vão gastar muito mais se forem de táxi”, reclama. As suspeitas de Josué são confirmadas pela vendedora Andressa Tavares, que preferiu fazer a pé o trajeto da Praça Santos Andrade, no Centro, até o Cabral. “Prefiro ir andando do que pagar o que estão cobrando. Talvez compense para quem mora longe e gastaria muito mais usando outro meio de transporte”, pondera.

Filas grandes, lucros nem tanto

Já nos pontos e centrais de táxi, o movimento é grande, com filas de espera  nos principais serviços de rádio-táxi. No entanto, segundo o taxista Luiz Kuster, os engarrafamentos ocasionados pela falta de ônibus fazem com que os lucros não sejam tão altos. “Chega muita gente, mas o trânsito está uma bagunça e o tempo que perdemos acaba fazendo com que não ganhemos tanto”, diz. Outro problema apontado pelos profissionais é a divulgação de informações divergentes entre si, o que acaba confundindo os motoristas. “Disseram que podíamos usar as canaletas para facilitar, mas depois ficamos sabendo que multaram alguns colegas que estavam fazendo isso”, afirma o taxista Rubens Antônio Cavaleiro.

Veículos de passeio sem a autorização apropriada são proibidos de circular nas canaletas e estão sujeitos a multa, conforme previsto no artigo 184 do Código Brasileiro de Trânsito. Porém, não é difícil ver motos e carros sem a placa que identifica motoristas autorizados pela Urbs seguindo pelas vias exclusivas para ônibus.

De acordo com informações da Prefeitura de Curitiba, agentes da Secretaria Municipal de Trânsito (Setran) orientam o trânsito em diversos pontos da cidade, incluindo a fiscalização de eventuais carros particulares não-autorizados que estejam trafegando em canaletas. A Polícia Militar está responsável pela checagem de autuações irregulares de taxistas e motoristas devidamente cadastrados.

Panorama

A greve dos motoristas e cobradores de ônibus começou por volta das 0h35 desta quarta-feira e ainda não tem previsão para acabar. Os trabalhadores reivindicam aumento de salário de 16% para motoristas e 22% para cobradores. Agora há pouco, o Tribunal Regional do Trabalho determinou que pelo menos 30% dos ônibus devem circular. Nos horários de pico, 40% da frota deve estar nas ruas. Caso o Sindicato dos Motoristas e Cobradores (Sindimoc) desacate a decisão, a multa é de R$100 mil por dia.

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Pular para o conteúdo