seg 26 fev 2024

Monthly Archives: Agosto, 2007

Só mais cinco minutinhos




Rapazes, não é futebol nem carros. Moças, não é ir às compras nem falar ao telefone. Com 353 votos (88,25% do total), dormir é o vício mais tentador. Seja no meio do filme, depois do almoço, em seguida ao nascer do sol. Seja na cama, na carteira da faculdade, no ônibus, na rede: para os fãs de uma boa soneca, o hábito não tem hora nem lugar certos e deve ser respeitado, surja no momento mais impróprio que for. Afinal, aquela sonolência gostosa e irresistível pode ser não só pura preguiça.

Vamos ao museu?




A maioria da população não ama nem odeia os museus. A relação está mais para indiferença: uma grande parcela do público curitibano não vai aos museus justamente por não se interessar pelo trabalho ali realizado. A imagem mais vendida é de que os museus são locais empoeirados e que só servem para recriar o passado.

Síndrome de Magali




Lá está você, na sua casa. Que horas são não importa. Pode estar afundado no tédio, nervoso com o trabalho, ansioso com alguma coisa ou chorando dores de amor, isso também não faz diferença. De repente, e sem nem perceber, você segue para um determinado cômodo, aquele em especial, e lá está ela: elegante, bonita, iluminada, com algum esforço pode-se ouvir até uma música sacra, ao longe, e pronta para abrir as portas para você. Paixão assumida de 88,75% das pessoas ouvidas pelo Comunicação, apresento-lhes a geladeira.

Crítica: Crimes e lingüiça




Para fazer o naturalista britânico Charles Darwin afirmar que 'o instinto venceu a razão', o observado pelo biólogo devia ser extremamente animalesco. E de fato foi isso que aconteceu na Porto Alegre no fim do século XIX: José Ramos, um açougueiro que vivia na parte mais pobre da cidade, supostamente matou e transformou em lingüiça inúmeras pessoas. Esse é o mote inicial da peça Como Carne , escrita e dirigida por Andrei Moscheto.

Odeio museu!




Certa vez, Oscar Niemeyer disse que a vida é mais importante que a arquitetura. Sua intenção era alertar para as coisas mais urgentes, já que a arte (assim também inclusa a sua arquitetura) não fazia parte do dia-a-dia de grande parte da população. O arquiteto acredita que o mundo precisaria antes ser mais igualitário para que todos possam ter condições de apreciar a cultura.

Bebo porque é bera




Ela foi inventada pelos sumérios e tinha como intuito nutrir os trabalhadores. Foi trazida para o Brasil em 1808 pelo apreciador inveterado D. João VI e virou mania nacional. Amiga inseparável de Vinícius de Moraes, musa inspiradora, elixir da vida ela, a cerveja, cerva, a bera, a gelada, a gostosa, a boa, a loira. A charmosa mistura de malte, lúpulo e outros cereais é o terceiro vício da pesquisa realizada pelo Comunicação sobre o vício mais tentador.

Nunca fui a um museu!




Giulia Piovezan tem 20 anos e uma sentença: nunca havia ido a um museu. Quando era criança, seus pais a levaram a um em São Francisco, na praia. Ela não se animou com a visita. "Era só uma exposição de uns barcos. Não tinha como se interessar", afirma.

E quem é o melhor amigo do cão?




Quem, durante um período de tristeza ou carência, nunca ouviu o famoso "que cara é essa de cão sem dono?", ou após um dia difícil, não exclamou "tive um dia de cão!"? Expressões como essa traduzem uma realidade dos cachorros de rua que, muitas vezes abandonados pelos seus ex-donos, acabam expostos a condições difíceis e situações de maus tratos.

Tesão pouco é bobagem




Beijinhos, carícias, erotismo e desejo, uma combinação perigosa e pra lá de atrativa. Considerando o sexo como o vício mais tentador da pesquisa feita pelo Comunicação, 297 pessoas (74,25%) afirmaram se render aos prazeres da carne e gostar demais desse chamado 'esporte dos deuses'. Embora grande parte dos entrevistados não tenha hesitado em confirmar o vício pelo sexo, o assunto é tratado com delicadeza por psicólogos e especialistas. Segundo eles, há uma pequena confusão quando o tema é relação sexual: a dependência se confunde com o gosto.

UFPR no mercado de plantas ornamentais




Mais de 10 mil mudas de plantas ornamentais, produzidas pelos alunos do curso de Agronomia da Universidade Federal do Paraná (UFPR), estão à venda no Centro de Estações Experimentais do Canguiri, em Pinhais. As plantas, que custam entre quatro e 10 reais, são produzidas nas aulas práticas do setor de Floricultura, na disciplina Plantas Ornamentais.

Museus: ame-os ou deixe-os




Você costuma ir ao museu? Pode ser sincero. Se a resposta for sim, ótimo. Se for não, melhor ainda. Não precisa se envergonhar. É por isso mesmo que o Comunicação Online inicia, amanhã, uma série de reportagens sobre a 'prática' de ir ao museu, que pode ser um hábito ou não. Serão três matérias que procuram mostrar facetas sobre o assunto: a descoberta, o ódio e a indiferença.

MSN e Orkut: febre ou vício?




Eu vou te deletar te excluir do meu Orkut. Eu vou te bloquear no MSN. Não me mande mais scraps nem e-mail, Power Point. Me exclua também e adicione ele... O trecho da música Vou te excluir do meu Orkut, hit sertanejo cujo videoclipe parodiado no You Tube tem mais de 550 mil acessos (veja clipe no fim da matéria), contaria apenas mais uma desventura amorosa, não fossem as referências ao mundo virtual na letra.

Tandem na UFPR




A palavra tandem tem origem latina e faz referência às bicicletas com dois lugares, que permitem que duas pessoas pedalem ao mesmo tempo e ajudem-se mutuamente a chegar a um mesmo destino. Esse é o objetivo do programa Tandem de ensino autônomo, existente há mais de 30 anos e baseado no encontro entre duas pessoas de países diferentes, para que troquem cultura na língua mãe e na língua que estão aprendendo.

As mudanças que o cursinho traz




Estudante em ano de vestibular é sempre meio parecido: deixa de lado algumas atividades, às vezes pára de sair para estudar um pouco mais, e sempre sofre uma pressãozinha da família e dos amigos. Quando estuda em um curso pré-vestibular, então, fica ainda pior. Aí começam os simulados, as aulas com centenas de concorrentes, e professores usando microfones e falando sem parar em cima do tablado.

Jovens da região metropolitana buscam oportunidades em Curitiba




João da Silva, 22 anos, acorda todos os dias às 5h30 da manhã. Rapidamente toma o seu café e se dirige à estação de ônibus, que o levará da região metropolitana onde mora a Curitiba onde trabalha. Cerca de 50 minutos depois, chega ao seu oficio, trabalha oito horas e volta para sua casa. Nos dias em que pretende se divertir, a opção é ficar por Curitiba após o trabalho. Afinal, é mais fácil do que enfrentar um novo percurso de ônibus.

Eles só querem chocolate!




Ele contém hidrato de carbono, gorduras, proteínas, sais minerais e vitaminas. A composição parece não dizer muita coisa, mas ele, o chocolate, pode fazer toda a diferença na vida de algumas pessoas. Aclamada por 69% dos entrevistados da pesquisa do Comunicação, a guloseima é objeto de compulsão e conquistou o sexto lugar na lista dos vícios mais tentadores. Há quem faça loucuras só para sentir seu gostinho.

Brasileiras conquistam o mundial feminino de punhobol




Sábado e domingo a tarde são tradicionais dias de jogos de futebol. Mas no último fim de semana, mais de 300 pessoas trocaram os gramados do Couto Pereira e da Arena da Baixada por outro: o do Clube Duque de Caxias, onde foi realizado o Campeonato Mundial Interclubes Feminino de Punhobol.

Na boca do povo




Tabagismo ainda parece ser atrativo para um grande número de pessoas. De acordo com a pesquisa encomendada pelo Comunicação, 265 entrevistados (66,25% do total) deram seus votos ao cigarro e garantiram, assim, sua sétima posição no ranking dos vícios mais tentadores da atualidade.

VII Ciclo de Palestras leva o teatro para dentro da universidade




Acontece essa semana O VII Ciclo de Palestras, promovido pela Fábrica de Comunicação. O evento está marcado para os dias 25, 26 e 27 de setembro, no Auditório do Polo de Comunicação da Universidade Federal do Paraná, que fica na Rua Bom Jesus nº. 650, Juvevê.

Imposto de Renda Ecológico: incentivo à preservação




O projeto de lei 5974/05, que estabelece a criação do Imposto de Renda Ecológico, foi aprovado, no dia 29 de agosto, pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara dos Deputados.

POPULARES

Pular para o conteúdo