Free Porn





manotobet

takbet
betcart




betboro

megapari
mahbet
betforward


1xbet
teen sex
porn
djav
best porn 2025
porn 2026
brunette banged
Ankara Escort
1xbet
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com

1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com

1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
1xbet-1xir.com
betforward
betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co

betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co

betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co
betforward.com.co
deneme bonusu veren bahis siteleri
deneme bonusu
casino slot siteleri/a>
Deneme bonusu veren siteler
Deneme bonusu veren siteler
Deneme bonusu veren siteler
Deneme bonusu veren siteler
Cialis
Cialis Fiyat
deneme bonusu
padişahbet
padişahbet
padişahbet
deneme bonusu 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet وان ایکس بت 1xbet 1xbet untertitelporno porno
qui 18 jul 2024
HomeCopa 2022Em dia de protestos, Bélgica e Espanha vencem

Em dia de protestos, Bélgica e Espanha vencem

Quarta-feira foi marcada por manifestações contra LGBTfobia, um Canadá surpreendente e goleada da Espanha

No quarto dia da Copa do Mundo do Catar, a Alemanha mais uma vez protestou contra as violações dos direitos humanos no país sede. Já a seleção belga, que também tem histórico de manifestações, enfrentou na tarde desta quarta-feira (23) o Canadá no estádio Ahmed bin Ali, na cidade de Al Rayyan, em partida válida pela primeira rodada do Grupo F.

A vitória pelo placar mínimo valorizou o bom desempenho do Canadá, com 21 finalizações a gol e uma penalidade perdida aos 10 minutos da etapa inicial. O gol dos diabos vermelhos, no final do primeiro tempo, foi marcado por Michy Batshuayi. Houve ainda dois erros de arbitragem, que resultaram na não cobrança de pênalti para a seleção canadense, e cinco cartões amarelos aplicados – três para a Bélgica e dois para o Canadá.

Aos 13 minutos do primeiro tempo, o juiz Janny Sikazwe marcou impedimento dos Vermelhos – apelido da seleção canadense. No entanto, o lance não só estava regular, como o jogador belga Vertonghen cometeu uma falta dentro da área, configurando um pênalti que não foi marcado e nem revisado pelo VAR. Já aos 38 minutos houve mais um pênalti não marcado cometido pela Bélgica, quando o jogador Witsel pisou no pé de Laryea. O confronto encerrou mais um dia da Copa do Mundo do Catar, no qual estrearam as seleções do Grupo E – Espanha, Costa Rica, Alemanha e Japão – e do Grupo F – Bélgica, Canadá, Marrocos e Croácia.

Ficha técnica da partida

Bélgica 1 x 0 Canadá (Grupo F)
Local: Estádio Ahmed bin Ali
Data: 23/11/2022 – quarta-feira, 16h00 (horário de Brasília)
Árbitro: Janny Sikazwe

Bélgica: Thibaut Courtois, Timothy Castagne, Michy Batshuayi, Toby Alderweireld, Jan Vertonghen, Yannick Carrasco, Youri Tielemans, Axel Witsel, Kevin De Bruyne, Leander Dendoncker, e Eden Hazard. (Roberto Martínez)

Canadá: Milan Borjan, Alistair Johnston, Steven Vitória, Kamal Miller, Stephen Eustáquio, Junior Hoilett, Atiba Hutchinson, Tajon Buchanan, Alphonso Davies, Jonathan David e Richie Laryea. (John Herdman)

Gols: Michy Batshuayi, da Bélgica (43’)

Cartões: Amarelo – Yannick Carrasco, Thomas Meunier e Amadou Onana, todos da Bélgica. Alphonso Davies e Alistair Johnston, ambos do Canadá.

Para além do esporte

Na história recente das seleções belga e canadense pode-se encontrar manifestações, porém elas são de caráter bem diferente. Exatamente dois meses antes da estreia dos Vermelhos na copa, em um amistoso contra o Catar, o atacante Jonathan David fez um protesto após marcar seu gol devido ao fato de a Nike não ter projetado um novo uniforme para o time disputar o mundial. O jogador tapou a logo da empresa, que fornece os materiais esportivos ao Canadá, na hora da comemoração. Já a Bélgica trouxe à tona um tema mais presente nas discussões populares e relevante na matéria de direitos humanos.

https://twitter.com/samstreetwrites/status/1573365256130265088?s=20&t=bIpGvoGVFEENepbOHnFimQ

O Catar sofreu duras críticas nos últimos anos em razão da discriminação à população LGBTQIA+. Devido a essa situação promovida pelo país-sede, sete seleções planejaram que seus capitães entrassem em campo com uma braçadeira nas cores do arco-íris (símbolo da comunidade LGBTQIA+), como forma de apoiar o movimento iniciado pela Holanda chamado “One Love”. Entre elas estava a Bélgica. No entanto, a Fifa anunciou que o capitão que entrasse com essa braçadeira levaria cartão amarelo, o que gerou um recuo na ação dos times para não prejudicar a atuação de seus jogadores no campeonato.

Braçadeira “One Love”, que foi proibida pela Fifa. Foto: Reprodução/Federação Alemã de Futebol

Mesmo com esse passo para trás na ação contra a discriminação no Catar, as sete seleções – Bélgica, Dinamarca, Alemanha, Inglaterra, País de Gales, Holanda e Suíça – publicaram uma nota em conjunto dizendo: “Estamos muito frustrados com a decisão da Fifa, que acreditamos que é sem precedentes. Escrevemos para a Fifa em setembro informando nosso desejo de vestir a braçadeira One Love para apoiar ativamente a inclusão no futebol, e não tivemos resposta. Nossos jogadores e treinadores estão desapontados. Eles são fortes apoiadores da inclusão e irão mostrar seu apoio de outras formas”.

Em entrevista aos repórteres Clarissa Freiberger e Gabriel Leão, quando questionado até que ponto as declarações e leis homofóbicas do Catar podem ser consideradas culturais e não uma violação dos direitos humanos, o Jornalista formado pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e pesquisador de orientalismos, Luiz Araújo, explicou que a mentalidade que prevalece em relação à população LGBTQIA+ é pautada pela repreensão: “Ela é baseada num tipo de estrutura social que é comum não apenas ao Catar, mas a maior parte do mundo Islâmico, onde a homossexualidade é reprimida. Isso precisa mudar. Mas, para que isso mude, é preciso que haja um movimento a partir é dos próprios cidadãos desses países”.

Outras partidas do dia

No segundo jogo do dia, na derrota da Alemanha para o Japão por 2 a 1, a seleção europeia fez um protesto contra a decisão da Fifa de não permitir o uso da braçadeira One Love. Os jogadores taparam suas bocas na foto oficial da partida como forma de simbolizar uma censura sofrida e foi publicado no Twitter da seleção a seguinte declaração: “Com a nossa braçadeira de capitão, quisemos dar o exemplo pelos valores que vivemos na seleção: a diversidade e o respeito mútuo. […] Não se trata de uma mensagem política: os direitos humanos não são negociáveis”.

Protesto dos jogadores da seleção alemã. Foto: AP Photo/Ebrahim Noroozi

Demais partidas do dia

De manhã, na abertura do Grupo F, Marrocos e Croácia, atual vice-campeã mundial, empataram sem gols. Pelo Grupo E, o Japão surpreendeu e venceu a Alemanha de virada (2×1), enquanto a Espanha aplicou a maior goleada da Copa até agora: 7×0 sobre a Costa Rica.

Próximos jogos

Todas as partidas dos grupos E e F acontecem no próximo domingo (27). Pelo Grupo E, o Japão, vice-líder com três pontos, recebe a Costa Rica, às 7h, e, em caso de vitória, garante a classificação às oitavas. A Espanha, líder do grupo pelo saldo de gols, recebe a Alemanha, às 16h. Os alemães precisarão de, no mínimo, um empate para não serem eliminados já na segunda partida.

Pelo Grupo F, Bélgica e Canadá enfrentam, respectivamente, Marrocos, às 10h, e a Croácia, às 13h. Com o resultado dos primeiros jogos do Grupo F, a Bélgica fica na frente, com 3 pontos, Croácia e Marrocos empatam com 1 ponto cada e o Canadá fica em quarto, com o placar zerado.

Gabriel Arouca Leão
Estudante do curso de Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná - UFPR
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Gabriel Arouca Leão
Estudante do curso de Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná - UFPR
Pular para o conteúdo