qua 27 out 2021
HomeDestaquesCultura celta se mantém viva entre os curitibanos

Cultura celta se mantém viva entre os curitibanos

A banda Thunder Kelt canta músicas celtas tradicionais e diverte os curitibanos nas “Noites Celtas”, realizadas na Capital Créditos: Divulgação
A banda Thunder Kelt canta músicas celtas tradicionais e diverte os curitibanos nas “Noites Celtas”, realizadas na capital
Créditos: Divulgação

 

Mesmo após séculos do fim da Idade Média, a cultura medieval ainda é apreciada das mais diversas formas. Alguns dos mais famosos produtos culturais atuais são ambientados na Idade Média, como é o caso do seriado Game of Thrones. A cultura celta foi uma das mais influentes na época, por mais que seus primeiros registros datem de séculos antes de Cristo. Foram os celtas que deram início a “Idade do Ferro”, introduzindo a metalurgia e o manuseio do ferro na Europa. Hoje, presenciamos um fenômeno chamado de celtismo — um movimento de expansão e disseminação da cultura celta.

Para Tiago Kaviski, criador do Hidromel Valkíria — bebida típica medieval —, o investimento da indústria fonográfica na cultura antiga é de grande importância para gerar mais interesse na mesma: “Graças aos seriados, filmes e livros que ressaltam a cultura medieval, as pessoas estão criando uma vontade maior de conhecer ela”.

Em Curitiba, a cultura medieval se mostra muito presente nos vários eventos realizados frequentemente na cidade. O Curitiba Celtic Fest, maior evento de música celta do Brasil, teve sua primeira edição em Curitiba no último sábado, 3, no Jokers Pub. Raoni Paes, organizador do evento, elege as características mais marcantes nos celtas: “Existe uma espécie de unidade estética nos celtas. Eles utilizavam um padrão nos escudos, nas roupas, nas pinturas e na arquitetura”.

Outro exemplo é o Mead Fest. O Festival está em sua quarta edição e tem como objetivo unir os vários aspectos da cultura medieval, as bebidas, as vestimentas, os costumes e as comidas típicas, em um só lugar.

A cultura medieval está representada também nos restaurantes da capital, como é o caso do Calabouço. A decoração do restaurante é repleta de espadas, escudos e armaduras da Idade Média, tudo isso ao som de músicas tradicionais e sob a luz de velas, se assemelhando muito a um verdadeiro calabouço medieval.  

Restaurante Calabouço propicia um ambiente tipicamente medieval a seus clientes, com muitas espadas, bandeiras e armaduras.  Créditos: Divulgação
Restaurante Calabouço propicia um ambiente tipicamente medieval a seus clientes, com muitas espadas, bandeiras e armaduras.
Créditos: Divulgação

Quanto ao motivo pelo qual Curitiba expressa tanto a cultura medieval, Raoni dá os créditos ao clima e cultura dos curitibanos. “O clima da região e o desenvolvimento cultural do curitibano que absorveu elementos de outras culturas , cria um campo fértil para que as pessoas busquem contos, histórias, música e símbolos de outras épocas”, afirma o entusiasta da cultura celta. “Isso gera uma vontade de vivenciar um período que não é o que nós vivemos”.

As “Noites Celtas”, realizadas todas as terças-feiras à noite no Jokers Pub, bar no centro de Curitiba, mostram que a cultura celta tem fãs fiéis na capital. Com muita música e cervejas tradicionais, as noites são comandadas pela banda Thunder Kelt. Formado em 2009, o grupo toca músicas celtas tradicionais de países como a Irlanda e a Escócia.

Banda Thunder Kelt em apresentação na 30ª Oficina de Música de Curitiba.  Créditos: Marcos Campos
Banda Thunder Kelt em apresentação na 30ª Oficina de Música de Curitiba.
Créditos: Marcos Campos

Segundo Raoni, os celtas deixaram muitas marcas em outras culturas ao redor do mundo. “Uma parte do simbolismo dos celtas se transconfigurou hoje na fé cristã, como no caso do ‘pai, filho e espírito santo’ (do catolicismo), que para os celtas era ‘corpo, mente e espírito’”, afirma o entusiasta do celtismo. Os celtas deixaram um legado também na mitologia. O conto de fadas Chapeuzinho Vermelho veio das histórias do Ciclo do Rei Artur da Inglaterra. Na história original, a menina sendo devorada pelo lobo é representado pelo inverno engolindo o sol.

Outro exemplo da influência dos celtas é a gaita de fole. Por mais que sua origem ainda seja desconhecida, talvez pertencente aos celtas, talvez aos romanos, uma coisa é certa: sua popularização se deve aos celtas. “Todos os povos que tiveram influência celta na cultura, até hoje possuem gaitas de fole em suas músicas tradicionais”, afirma Raoni. “Portugal é um caso clássico, onde atualmente ainda se tocam três tipos de gaita de fole”.

A civilização celta também deixou marcas na indústria musical. Segundo Rodrigo Melo, integrante da banda Thunder Kelt, a música típica originou diversos gêneros musicais. “A música celta deu origem a muita coisa que temos hoje em dia, como o rock, o country e o blues”, afirma o musicista. “A música celta trabalha muito com emoções e sentimentos, tem melodias muito particulares”.

 

Hidromel, a bebida medieval

A história do Hidromel, bebida típica medieval, começou há milênios. Além de ser muito consumida na Roma e Grécia Antiga, também era cultuada entre os celtas, vikings e saxões. Na mitologia nórdica, o hidromel é considerado a bebida favorita dos deuses. Grandes autores atuais, como J. K. Rowling e George R. R. Martin, citam o hidromel em suas obras.

Em Curitiba, o Hidromel Valkíria surgiu da vontade de Tiago Kaviski de produzir uma bebida diferente das demais. “O hidromel nasceu da minha vontade de conhecer mais a cultura celta, que eu já estudava há algum tempo”, aponta Kaviski. “Comecei atendendo aos eventos que me chamavam, mas depois de um tempo, quando fiz curso de tecnologia em fermentação, eu e dois professores transformamos o hidromel em uma empresa”. A partir de 2010, a produção do Hidromel Valkíria foi oficializada.

O hidromel é, originalmente, uma bebida alcoólica feita da fermentação de mel diluído em água. Atualmente, o Hidromel Valkíria oferece duas opções: seco ou suave. “O seco é praticamente um vinho branco, mas feito a base de mel”, afirma Kaviski. A bebida é vendida através da página no facebook, no Mercado Municipal de Curitiba ou na Hamburgueria Good Skull.

 Leia mais:

O ponto crucial da música autoral curitibana

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Populares