seg 18 out 2021
HomeDestaquesOmbudsman: As atrocidades que não podem ser esquecidas

Ombudsman: As atrocidades que não podem ser esquecidas

Estou honrada em fazer parte da equipe de Ombudsman do Jornal Comunicação, com jornalistas de qualidade. Uma responsabilidade grande analisar os trabalhos de futuros colegas. Não sou uma expert nisso, seguimos a cada dia aprendendo algo novo. E assim como para os estudantes é um desafio ir para rua e preparar o material, sinto o mesmo desafio nesta nova experiência. Mas estamos aqui para contribuir, seja com uma análise crítica negativa, como elogiosa. Mãos à obra, que nossa caminhada é longa. Um salve a todos.

 

Matéria – Juristas protocolam pedido de Impeachment de Beto Richa: entenda o caso

Um, tema ainda bastante atual e fonte para matérias de diversos segmentos. O massacre do dia 29 de abril gerou desdobramentos e despertou a necessidade de a sociedade civil se unir como opositora e buscar caminhos para que novos atos de violência ou ações repressoras não voltem a acontecer – como a criação do Comitê dos Direitos Humanos 29 de abril (um bom tema para ser trabalhado).

Juristas protocolaram o pedido de impeachment no dia  25 de maio. Na foto,  Advogados Tarso Cabral Violin, André Passos e Rogério Bueno, servidor público Bernardo Pilotto e professor do Curso de Direito da UFPR, Luiz Fernando Lopes Pereira. (Crédito/ reprodução: Tarso Cabral Violin)
Juristas protocolaram o pedido de impeachment no dia 25 de maio. Na foto,
Advogados Tarso Cabral Violin, André Passos e Rogério Bueno, servidor público Bernardo Pilotto e professor do Curso de Direito da UFPR, Luiz Fernando Lopes Pereira.
(Foto: reprodução/ Tarso Cabral Violin)

E um dos desdobramentos mais comentados foi o pedido de impeachment contra o governador Beto Richa. A matéria traz uma boa entrevista com um dos autores do pedido protocolado na Assembleia Legislativa. Porém faltou aprofundar um pouco mais alguns pontos.

Qual é o texto da Lei de Responsabilidade de 1950? Qual o número desta Lei? Por que o governante que infringe esta lei fica impossibilitado de governar? Por quanto tempo? O entrevistado pode ter detalhado mais durante a entrevista, mas o leitor não tem conhecimento da lei e seu texto. Precisamos trazer isso a ele.

Outro ponto que senti falta é o prazo para análise do pedido protocolado Tem algum período para isso? O pedido pode expirar? Ou ele pode ficar na Casa parado por anos? E assim como o governador foi procurado, a reportagem também poderia ter pedido um posicionamento do presidente da AL Ademar Traiano.

O entrevistado fala em uma conjunta que pode tirar até mesmo a vice-governadora Cida Borgheti da administração. Mas qual é esta conjuntura? É um item que poderia ter sido detalhado. No texto abre, é explicado que ela poderia deixar o cargo por também estar envolvida no massacre. Mas ela pode sofrer impeachment também? O pedido está junto ao do governador ou precisa de outro processo. O que precisa ocorrer ou ser feito para que uma nova eleição seja convocada?

A matéria poderia ter a opinião de um cientista político para aprofundar mais o tema, mesmo que isso derrubasse a entrevista ping-pong. Às vezes vale muito mais uma matéria analítica com mais fontes e um aprofundamento maior a uma entrevista ping-pong. Principalmente quando se trata de um assunto espinhoso

 

Elaine Felchacka – jornalista formada pela UEPG. Já trabalhou como correspondente do portal Terra, repórter da Tribuna, produtora da Fox Sports e atualmente atua como assessora de imprensa na Literal Link.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Populares

Comentários recentes