dom 17 out 2021
HomeDestaquesProfessores municipais entram em greve nesta segunda-feira

Professores municipais entram em greve nesta segunda-feira

Professores em assembleia optaram pela greve (Foto: Divulgação/Sismmac)

Durante assembleia realizada no Centro de Convenções de Curitiba no último dia 27, os professores da rede municipal decidiram paralisar as atividades. O indicativo da greve, prevista para começar dia 17 de março e se estender por tempo indeterminado, havia sido aprovado em assembleia do Sindicato dos Servidores do Magistério Municipal de Curitiba (Sismmac) em dezembro do ano passado. As reivindicações consistem em três pontos principais: enquadramento no novo Plano de Carreira proposto pela prefeitura de Curitiba, contratação de novos professores e mudança na jornada das escolas do 6º ao 9º ano.

Dentre as urgências está o enquadramento no novo Plano de Carreira. Segundo o Sismmac, o novo plano proposto, mesmo representando um avanço em relação ao anterior, ainda não é completamente satisfatório. Embora o tempo necessário para se chegar ao topo da carreira seja de 25 anos, ao invés dos 94 do Plano anterior, são os novos critérios de enquadramento que são questionados. O enquadramento seria feito agora por salário semelhante, desconsiderando o tempo de serviço do funcionário, o que de acordo com o Sismmac, poderia resultar em um achatamento dentro de poucos anos. Dessa forma, o magistério apresenta uma contraproposta estabelecendo o tempo necessário para se chegar ao topo de carreira em 15 anos, mantendo os quinquênios (adicional por tempo de serviço a cada 5 anos) no formato atual, favorecendo um vencimento maior na aposentadoria.

Novas Contratações

A professora municipal, Elisabete de Brito, mesmo não sendo do Sismmac, apoia firmemente a greve. “A greve é a única maneira do trabalhador conseguir alguma coisa, infelizmente”, afirma. Elisabete reitera, ainda, a necessidade da contratação de mais professores e aponta a lentidão no processo de negociações com a prefeitura. “Os acordos que são feitos sempre ficam para serem resolvidos depois: eles prometem que vão tentar estudar o caso, que vão tentar fazer algo, mas tudo continua do mesmo jeito”, finaliza.

A Prefeitura de Curitiba, desde o começo do ano, vem contratando novos professores buscando amenizar a situação. Em fevereiro, foram nomeados 144 professores de Docência I e matemática visando substituir aposentadorias e exonerações. No entanto, segundo cálculo feito pelo Sismmac, seria necessária a contratação de ao menos 500 profissionais de Docência I para preencher todo o quadro. Ainda no final do ano passado, a Prefeitura havia assumido durante uma reunião que seria necessário contratar mais de mil professores no total para preencher o quadro dos 33% de hora-atividade. Dessa forma a pauta continua nas reivindicações do sindicato, pois somando todas as contratações – essas 144 mais as 316 outras desde o final de janeiro – ainda estaria faltando mais da metade do quadro a ser preenchida.

 

 

 

 

 

 

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Populares

Comentários recentes