dom 28 nov 2021
HomeCidadeEstudantes da UFPR lançam exposição de fanzines

Estudantes da UFPR lançam exposição de fanzines

Estudantes de Comunicação da Universidade Federal do Paraná promovem exposição virtual de fanzines — revistas amadoras, experimentais, sem fins lucrativos e, em geral, produzidas de forma artesanal — ligadas a movimentos artísticos e à cultura. As revistas produzidas por eles têm temas diversificados e agora o acervo está disponível no Jornal Comunicação.

Os temas escolhidos pelos 80 estudantes da disciplina de Fundamentos da Comunicação Visual — ofertada para alunos dos segundo e terceiro períodos dos cursos de Jornalismo, Publicidade e Propaganda e Relações Públicas — dialogam com ficção, cultura, esporte e temáticas sociais, como gênero e consumismo. Essa variedade temática renova a tradição das fanzines surgidas na década de 1930, nos Estados Unidos e voltadas, em especial, para temas ficcionais.

As revistas abordam variados temas com cores e imagens atraentes aos olhos em um número menor de páginas que o livros, por exemplo. Isso as torna ferramentas educativas importantes, pois proporcionam uma experiência divertida e prazerosa para os leitores. Ao considerar que o Brasil registrou a diminuição no número de leitores entre 2015 e 2020, as fanzines ganham destaque por servirem como boas introdutoras à leitura.

Confira os materiais produzidos.

A maldição do DECOM – Relatos de um calouro esquecido

A fanzine traz a temática paranormal para dentro da UFPR. A narrativa se desenrola pela visão de um calouro, estudante do Departamento de Comunicação (Decom), que começa a perceber situações inusitadas no campus. Atiçado pela sua curiosidade, ele resolve investigar o que está acontecendo.

Por meio de um relato ficcional simples e ilustrações da narrativa, a obra busca dar vida a algumas histórias e lendas contadas por estudantes da universidade. A atmosfera de suspense é construída com elementos expressionistas e surrealistas.

Produção de: Bruno Czelusniak Maba, Felipe Veiga Gabardo, Isabela Inácio Misocami, Letícia Cristina Ferro, Mariana Luiza Moreira Passos, Matheus Primo Fenelon e Thamiris Regina Mottin.

Cultura

A música e o cinema foram destaques na escolha dos temas da disciplina. Confira as produções sobre o tema:

Fancine

A revista é sobre os cinco movimentos cinematográficos europeus mais importantes do século XX. A produção busca trazer autenticidade para o conteúdo ao incorporar as peculiaridades visuais que caracterizam cada movimento que marcaram sua época. A Fancine faz o leitor se sentir parte daquele universo ao ler sobre cada uma das vanguardas cinematográficas.

Produção: Cecilia Sizanoski Sanchez, Chananda Lipszyc Buss, Ghislain Clovis Hounwanou, Giulia Michelotto Cordeiro, Juliana de Medeiros Sehn, Maria Eduarda Mischiatti de Marco, Matheus Brotto Natario, Matheus Rodrigues dos Santos e Michel Carlos Vier.

Acesse a revista aqui!

Funk Brasileiro: Um Movimento Cultural da Periferia

O projeto tem o intuito de valorizar e contar a história do movimento do funk. Mesmo com um enorme crescimento, o gênero musical ainda é discriminado por parte da sociedade. Os elementos visuais e escritos da fanzine ajudam a mostrar que o funk se tornou muito mais do que apenas um estilo musical. A estética do produto se inspira em movimentos artísticos, como Pop Art e Surrealismo, para construir um visual que envolvesse o público.

Produção: Ana Cristina Bertão, Eduarda Eberhardt, Emerson Araújo, Isis Bahl, João Vitor Barbosa, Jully Ana Mendes, Luis Conceição e Pedro Pepplow.

O cinema de Tarantino

A fanzine busca elucidar, por meio das imagens, possíveis mensagens subliminares e os contextos aplicados pelo autor e diretor Quentin Tarantino em suas nove obras: Reservoir Dogs (1992), Pulp Fiction (1994), Jackie Brown (1997), Kill Bill (2003/2004), Death Proof (2007), Inglourious Basterds (2009), Django Unchained (2012), The Hateful Eight (2015), e Once Upon a Time in Hollywood (2019).

A revista realiza um trabalho estético de colagem que traz características de antigas fanzines mescladas ao conceito tecnológico de exposição à leitura digital.

Produção: Àlex Büllow, Feliphe Ferrari e Vitor Kloss

Confira a revista!

Cinemazine

A Cinemazine conta a história do cinema através de postagens no Instagram, inovando o formato. O mundo do cinema, lúdico e aberto para novas possibilidades, é retratado no trabalho com elementos visuais da Pop Art.

Produção: Amanda Maria Rodacovski dos Santos, Julio Gabriel Taborda Vidal,  Kerollyn Rafaela Jonas Ribeiro, Ludmyla Azevedo de Souza e Munira Sampaio de Almeida Bark.

Clique aqui para conferir o perfil!

Temas Sociais

Assuntos como consumismo e questões de gênero também foram abordados pelos estudantes. Confira as produções:

Fanzine Kallos: A história da arte e a evolução dos padrões de beleza

A fanzine Kallos pretende contextualizar a evolução do padrão de beleza imposto às mulheres em comparação com os movimentos artísticos de cada época. O tema é relevante uma vez que a busca pelo padrão de beleza inalcançável é prejudicial física e emocionalmente, em especial, para as mulheres de 18 a 30 anos, público-alvo da publicação. A perspectiva histórica e artística permite perceber a efemeridade do considerado belo, de maneira que a beleza, como construção histórica e cultural, está associada à arte de cada época.

Produção: Julia de Andrade Ternoski, Julia Oliveira Freire, Luiza Giordani Medeiros, Mariana Harmatiuk Camargo, Marina de Assis Almeida, Marina Gabriely Pereira Galdino e Marina Siqueira do Amaral.

História das Mulheres na Comunicação

A fanzine aborda a história das mulheres na comunicação e os desafios pelos quais elas passaram para conquistar direitos e chegar às lutas atuais. A produção trata do tema com influências do Pop Art, movimento que apresentou as primeiras tentativas de representar as mulheres fora do olhar machista.
Produção: Camila Ristow Andrade, Caroline Gonçalves da Costa, Letícia Carpi Baggio, Leticia Negrello Barbosa, Maria Clara Xavier de Souza, Patricia de Oliveira Ribeiro e Sara Restier Leite.

Confira aqui!

Família Consumo

A fanzine Família Consumo alerta sobre o consumo excessivo e o descarte indevido de bens de consumo da população brasileira. As discussões acerca do tema são realizadas a partir da rotina de uma família fictícia. O intuito de mostrar o consumo e produção de lixo dos personagens individualmente, em diversas atividades durante uma semana, ajuda na exemplificação dos hábitos de consumo atuais e os prejuízos que acarretam. O material é voltado para todas as faixas etárias e grupos sociais, inclusive crianças.

Produção: Ana Beatriz Carrijo, Anneliese Berneck, Camila Ferreira, Gabrielle Cordeiro, Leticia Horst, Milena Colomby, Miriah Zanão, Nariman Bark e Nicolle Schumacher

Leia aqui!

Teorias da Conspiração

Assim como as Fake News, ou notícias falsas, as teorias da conspiração habitam o ecossistema informativo da Era Digital. O produto Teorias da Conspiração aborda essas ficções em quatro categorias: celebridades, Teorias x Ciência, Viagem no Tempo e Visitantes de Outro Mundo. A fanzine proporciona uma leitura de entretenimento que incentiva a imaginação do leitor. Esteticamente, o material estabelece uma relação com vanguardas artísticas, como o Dadaísmo, Surrealismo e a Pop Art.

Produção: Carolina Serra Genez, Felipe Kosuta de Azambuja, Jessica Rafaella Correia de Holanda, Julia Chagas Zanin Pereira, Luisa da Costa Mattos Silva, Marina Chioca Anater, Paula Bulka Durães e Thiago Fedacz de Anastacio.

Clique para ler!

Esporte

O trabalho aborda a história do futebol enquanto movimento social, sustentando para tanto, uma linha cronológica e cultural do desenvolvimento do esporte até seus moldes atuais. Para tanto, o fanzine se aproxima de uma experiência de museu utilizando os sentidos auditivos e visuais para uma experiência completa. A revista insere o leitor no imaginário futebolístico e sua história.

Produção: Carlos Ciszewski, Ingrid Gabrielle e Yêssera Viana Salvalaggio.

Clique aqui para ler!

Valkyria Dantas Rattmann
Estudante do curso de Jornalismo da UFPR.
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Valkyria Dantas Rattmann
Estudante do curso de Jornalismo da UFPR.